Mais uma de nossa direita e de nossos rentistas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 23 de setembro de 2011 as 07:50, por: cdb

A moda para eles nos últimos dias e horas é a pregação pró-câmbio flutuante sem administração governamental. Só defendem essa política quando ela valoriza o real e eles ganham nas duas pontas – com os juros e com o câmbio. Já quando ela desvaloriza a moeda, não vale. Aí, cobram, o governo precisa intervir.

Mas, quando o governo intervinha para evitar o pior na valorização era uma gritaria só contra as ameaças às forças e liberdade do mercado! Parece mentira, mas essa é a pura verdade. Eles – mercado, rentistas, especuladores… – não tem pudor e nem vergonha. Mudam de posição às claras, quando seus interesses são afetados.

Cabe ao governo, como bem deixa claro a presidenta Dilma Rousseff – leiam o Destaque Não adianta pressionar. Governo não vai tentar controlar disparada do dólar  – não se impressionar, não ceder às pressões e nem ser pautado por eles e pela parte da imprensa que os apóia por interesses políticos e/ou comerciais mútuos.

O certo é continuar na trilha adotada

Para nós o que deve contar são nossos interesses nacionais, o crescimento sustentado de nossa economia com distribuição de renda e aumento dos investimentos. E implementar sempre mais a redução dos juros, para liberar recursos do serviço da dívida e evitar uma maior valorização do real.

Principalmente, nesse período de crise nos Estados Unidos e na Europa, quando o FED (banco central norte-americano), de novo imunda o mercado com mais US$ 400 bi (compra de títulos anunciada na 4ª feira.) e reafirma seu esforço para manter os juros baixos até 2013 em Tio Sam.

Quando o  próprio FMI, quem diria, chama a atenção para a necessidade de controle dos fluxos de capital para os países emergentes, não seremos nós que vamos manter a atual taxa de juros e adotar politicas que atendem somente ao interesse do mercado financeiro.