Mais sete pessoas morrem vítimas de pneumonia atípica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 6 de abril de 2003 as 18:19, por: cdb

A pneumonia atípica continua causando mortes na Ásia, onde nas últimas horas pelo menos cinco faleceram na China, uma delas um estrangeiro membro da Organização Internacional do Trabalho (OIT), e duas delas nno território especial de Hong Kong.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de vítimas fatais do vírus em todo o mundo chega a 98 e o de infectados já supera os 2 mil.

A cifra de mortos na China subiu para 51, disseram autoridades sanitárias chinesas, ou seja, cinco mais em relação ao número de sábado.

O finlandês Pekka Aro, representante da OIT, morreu hoje em um hospital de Pequim.

Pekka, de 53 anos, havia chegado ao país em 23 de março procedente de Bangcoc, Tailândia, e trabalhava na realização de um foro sobre questões trabalhistas, indicou Liu Peilong, responsável pelo ministério da Saúde chinês.

Apesar das medidas preventivas e da quarentena maciça, os hospitais asiáticos recebem a cada dia dezenas de infectados e os especialistas já se perguntam sobre a capacidade desses hospitais de receberem novos enfermos.

As autoridades sanitárias admitiram a possibilidade de “alguns membros” do Hospital Alice Ho Miu Ling Nethersole, de Hong Kong, estarem infectados.

Em Cingapura, onde hoje foram confirmados dois novos casos de contágio – um médico e uma enfermeira -, o diretor internacional de estudos estratégicos, Tim Huxley, disse que a Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars) pode servir de boa experiência para o modo de reagir a um ataque biológico – por exemplo, com o vírus da varíola – em termos de isolamento e tratamento das pessoas infectadas.

Para Andrew Tan, outro especialista do instituto, “em um primeiro momento, como no caso da Sars, um ataque bioterrorista provocará uma corrida das autoridades para compreender se se trata de um ataque biológico. Em seguida, tentaríamos identificar o tipo de agente utilizado”.

“A situação é muito similar ao que ocorreu nas últimas duas semanas a respeito da Sars com as autoridades de Cingapura e de outros países mobilizados para identificar o vírus”, acrescentou.

Até agora, segundo a OMS, é a seguinte a distribuição das 98 mortes: 1 na Malásia, 51 na China, 22 em Hong Kong, 7 na Tailândia, 7 no Canadá, 6 em Cingapura e 4 no Vietnã.