MAIS MORADORES DA ÁREA DE RISCO NA VILA ROMANA SÃO TRANSFERIDOS

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 24 de janeiro de 2012 as 13:47, por: cdb

24/01/2012 | 15:17

MAIS MORADORES DA ÁREA DE RISCO NA VILA ROMANA SÃO TRANSFERIDOS

De acordo com a Smhab, as transferências das famílias só aconteceriam em outubro deste ano, mas foram antecipadas devido a constatação da fragilidade nas casas

Depois do laudo da Defesa Civil que condenou 11 casas na Vila Romana, Região Sudoeste de Goiânia, classificando os imóveis como frágeis e, por esse motivo, de grande risco aos moradores, a Secretaria Municipal de Habitação (Smhab) antecipou ações e transferiu cinco famílias que estavam nesta situação. Destas, uma foi para o Residencial Orlando Morais e as outras para o Residencial Jardins do Cerrado. Duas se recusaram a ir para qualquer empreendimento construído pela prefeitura e se mudaram do local por conta própria, cedendo suas casas, que já foram demolidas para que não haja novas ocupações. As quatro famílias restantes, que vivem na mesma casa, decidiram aguardar novas construções por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2).

De acordo com a Smhab, as transferências destas famílias só aconteceriam em outubro deste ano, mas foi constatado fragilidade nas casas. “O cronograma não tem força maior que o laudo. Fizemos uma operação para concluirmos as remoções destas famílias que viviam riscos iminentes”, conta o secretário de Habitação, Paulo Borges.

O perigo maior advém da localização das casas construídas – área das imediações do Córrego Palmito. Com a chegada das chuvas, a água transborda oferecendo riscos aos moradores, inclusive de doenças. Todas as famílias transferidas de áreas de risco fazem parte do Programa Prioritário de Investimento (PPI) e vão morar em casas de 40,80 metros quadrados, seguindo a planta elaborada pela Secretaria de Habitação. Os lotes têm, no mínimo, 225 metros quadrados, os beneficiados não pagarão nenhum valor pelo imóvel e os bairros para onde as famílias foram levadas já contam com infraestrutura como postos de saúde, escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei).

Novas Construções
Cerca de 4,3 mil casas serão levantadas este ano em vários bairros de Goiânia para beneficiar moradores que vivem em áreas irregulares da capital. Segundo levantamento realizado pela prefeitura, através do Plano Municipal de Habitação, cerca de quatro mil famílias vivem em áreas de risco e, com essas novas casas, as ocupações impróprias serão extintas. É o que garante Paulo Borges. “Vamos reduzir a zero as áreas de risco em Goiânia, transferindo os moradores para locais planejados, dignos e seguros”, acredita o Secretário.