Mais de quatro mil atores protestam contra reformas na França

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de setembro de 2003 as 19:55, por: cdb

Mais de 4,5 mil atores franceses fazem um protesto nesta quinta-feira em Paris e por toda França, prometendo interromper atividades culturais, até que o governo reconsidere o plano de reforma previdenciário que afeta os benefícios recebidos pelos artistas quando não estão trabalhando.

Os protestos envolvem centenas de pessoas em várias cidades da França: 500 em Lyon, 200 em Marseille e outras tantas em Bordeaux, Dijon, Rennes e Strasbourg. Em Paris, a polícia estimou pelo menos 4,5 mil atores, técnicos e artistas na marcha até o Ministério da Cultura.

O governo de centro-direita aprovou no último mês um plano que limita o longo e generoso sistema de benefícios aos artistas que estão fora de cartaz.

Na tentativa de impedir a aprovação das reformas os artistas promoveram protestos e greves nos meses de junho e julho devastando os festivais de verão e provocando o cancelamento do festival de teatro mais importante do mundo, o festival de Avignon.

A entidade de esquerda que comanda os protestos, CGT, prometeu apelar contra a reforma em instância superior, o Conselho de Estado. A reforma, que não está programada para entrar em vigor antes de 2005, visa o fundo desemprego dos artistas franceses que recebem um salário no período entre um espetáculo e outro.

Artistas e outros empregados do show business normalmente têm que trabalhar 507 horas por ano para habilitar 12 meses de salário-desemprego. Com a reforma eles terão que trabalhar 507 horas por aproximadamente 10 meses para ganhar benefícios por oito meses.

Representantes dos artistas argumentam que a reforma vai prejudicar aqueles que mais necessitam de ajuda, que são os que não trabalham regularmente e representam 30 a 35% de todos os artistas e empregados do setor.