Mais de mil cidades rendem homenagens a Ingrid Betancourt

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de dezembro de 2003 as 02:48, por: cdb

A ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, refém da guerrilha das Farc desde fevereiro de 2002, recebeu a cidadania honorária de mais de mil cidades do mundo, assegurou, nesta terça-feira, em Bogotá sua formação política.

O Partido Verde Oxigênio explicou o reconhecimento em massa recebido por sua líder em uma campanha iniciada na Bélgica em março do ano passado e que se tornou um ‘movimento mundial’.

Esse movimento é representado em ‘279 comitês de apoio que trabalham no mundo pela liberdade de Ingrid Betancourt e os demais seqüestrados colombianos’, destacou a formação política.

O partido fundado e dirigido pela refém ressaltou que ela é cidadã de honra de capitais de países como Bruxelas, Paris, Dublin e, mais recentemente, de Roma, cujo prefeito, Walter Veltroni, a conferiu no último dia 22.

No país pioneiro desta campanha, a Bélgica, 137 cidades e municípios outorgaram a cidadania honorária a Ingrid Betancourt, que recebeu o mesmo título em outras 839 da França.

Outras cidades e municípios da Itália, México, Canadá, Argentina, Estados Unidos e Espanha ‘se uniram à iniciativa’, acrescentou o Partido Verde Oxigênio.

Betancourt, de 42 anos e que também tem nacionalidade francesa, foi feita cativa quando ia em uma estrada para a antiga zona de distensão do sul na qual o governo do então presidente colombiano, Andrés Pastrana (1998-2002), manteve um processo de paz de três anos com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Os rebeldes a seqüestraram junto a Clara Rojas, sua fórmula eleitoral como candidata a vice-presidência, para integrá-las a uma relação de políticos e membros da polícia que pretendem trocar por mais de quinhentos rebeldes presos.

As Farc incluíram na lista três americanos seqüestrados em fevereiro passado no Caquetá, departamento selvático do sul com forte presença do grupo guerrilheiro.

Os estrangeiros ocupavam junto com outro americano e um militar colombiano que foram assassinados um ‘avião espião’ americano que se acidentou ou foi derrubado pelos rebeldes.