Mais de 700 pessoas podem ter morrido afogadas em Gâmbia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 28 de setembro de 2002 as 00:06, por: cdb

Mais de 700 pessoas podem ter morrido afogadas, depois que uma barca senegalesa virou na costa de Gâmbia, durante uma tempestade.

Oitenta corpos foram retirados e cerca de 670 pessoas devem ter se afogado, informaram as autoridades locais.

Apenas 30 pessoas foram resgatadas com vida das águas – alguns deles por um barco pesqueiro italiano.

A barca Joola estava fazendo o percurso da região de Casamance, no sul do Senegal, até a capital do país, Dacar. O barco virou quando passava pouco antes da meia-noite de quinta-feira, quando atravessava as águas de Gâmbia.

Impacto

A embarcação, de propriedade do governo, estava equipada para carregar, no máximo, 550 pessoas, mas o primeiro-ministro do Senegal, Mame Madior Boye, teria dito que 800 pessoas estavam a bordo.

“A embarcação caiu para um lado como resultado da combinação do impacto de ventos fortes e chuvas torrenciais”, contou o primeiro-ministro Boye.

Há informações não-confirmadas de que a barca teria sofrido uma pane no motor.

O barco tinha voltado a ser usado há apenas três semanas depois de ter passado por reparos substanciais.

Parentes dos passageiros que estavam a bordo se reuniram nos portos de Dacar e Zinguinchor, capital da região de Casamance.

Resgate

Segundo o corrrespondente da BBC em Dakar, o clima é de revolta no porto da capital do Senegal. Ele disse que as pessoas estão frustradas e ansiosas pois estão recebendo poucas informações das autoridades.

Segundo a agência de notícias AFP, algumas famílias responsabilizam o serviço de transporte do país. Eles dizem que a barca voltou a ser colocada em serviço precipitadamente, após ter ficado parada durante um ano.

Forças de segurança foram enviadas para conter a multidão.

Barcos civis e da Marinha de Gâmbia e do Senegal se uniram para fazer uma operação conjunta de resgate.

Rumores

O governo do Senegal declarou três dias de luto nacional.

O caminho entre Zinguinchor e Dakar é uma importante rota comercial.

O território do sul do Senegal é separado do resto do país por Gâmbia, e uma guerra na região do Casamance fez com que as estradas sejam muito perigosas.

Muitos empresários, portanto, preferem usar a rota marítima para continuar a fazer seus negócios.

O correspondente da BBC conta que há rumores de que o barco poderia estar sobrecarregado de mercadorias.

Um grande grupo de mulheres está rezando e cantando em frente ao mar enquanto amigos e parentes ouvem, na rádio local, informações sobre o acidente.