Máfia italiana usa celulares 3G para provar venda de votos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 19 de maio de 2003 as 15:45, por: cdb

As organizações mafiosas italianas descobriram uma nova utilidade para a telefonia móvel 3G (de terceira geração) que os criadores da tecnologia certamente não haviam pensado – fraude eleitoral.

A idéia é a seguinte: as organizações mafiosas mandam o eleitor para a cabine de votação com um telefone 3G equipado com câmera fotográfica. O eleitor então tira uma foto durante seu voto e depois envia a imagem provando que fez o combinado. Só depois disso ele recebe os € 50 (US$ 57,30) prometidos.

Mas as autoridades italianas descobriram a artimanha e prometeram erradicar a prática até as próximas eleições regionais, marcadas para 25 de maio.

“O ministro do Interior, Giuseppe Pisanu, tomou medidas imediatas para frustrar qualquer tentativa de violar o segredo de voto, particularmente quanto ao uso de 3G nos locais de votação”, informa um comunicado do Ministério, sem especificar as medidas adotadas.

As organizações mafiosas em algumas regiões da Itália têm tradicionalmente tentado influenciar os resultados das eleições para obter privilégios uma vez que os candidatos ajudados tomem posse.

Em uma prática de compra de voto no período pós-guerra, os mafiosos davam somente um dos pés de um calçado para pessoas pobres, prometendo entregar o outro pé se votassem conforme o combinado.