Mãe que ‘ingere agrotóxico pode ter filho com leucemia’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 7 de setembro de 2004 as 17:43, por: cdb

Pesticidas e outras substâncias que poluem o meio ambiente podem contribuir para causar leucemia em crianças, dizem cientistas britânicos.

Estudos em laboratório da Universidade de Bristol mostraram que os poluentes são capazes de viajar pela placenta até os bebês em gestação.

O pesquisadores apresentaram suas descobertas em uma conferência na instituição de caridade Children with Leukaemia (Crianças com Leucemia) em Londres.

Especialistas duvidaram que pesticidas estivessem ligados à maioria dos casos e pediram mais evidências.

Diversidade

Leucemia é o termo utilizado para descrever vários tipos de câncer nas células sangüíneas.

A cientista Margaret Sanders e seus colegas fizeram testes em placentas humanas e porquinhos da Índia em gestação.

Eles encontraram componentes usados em pesticidas, como o DDT e outras substâncias parecidas, que atravessaram facilmente o tecido da placenta.

Nos porquinhos, essas substâncias se acumularam em diferentes órgãos do animal que estava sendo gerado.

“O que essa descoberta mostra é que, se a mãe come essas substâncias na comida, elas chegam aos fetos”, disse o co-pesquisador Alan Preece.

“Os níveis exatos ainda são desconhecidos, mas nós sabemos que a leucemia infantil começa no útero, e esse poderia ser um fator.”

Os cientistas concordaram que mais pesquisas devem ser feitas para que se saiba ao certo como as substâncias contribuem para o desenvolvimento da leucemia.