Lula: “Vou ser mais comedido daqui para frente”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 23 de setembro de 2004 as 09:50, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, durante entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, que não entendeu por que os adversários ficaram tão nervosos quando defendeu a candidatura da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, durante inauguração de obra na Zona Leste da cidade. Ainda assim, Lula prometeu ser “mais comedido daqui para frente” por considerar que não foi um bom exemplo.

Em resposta ao jornalista Felipe Bueno, da Rádio Eldorado, sobre a retirada do site do Planalto do trecho do discurso em que pede votos para Marta, Lula disse que não estava no Brasil quando isto aconteceu.

– Todos vocês já acompanharam campanhas eleitorais. Fui inaugurar uma obra porque a prefeita não podia ir. Houve um ato oficial, fiz o meu discurso. Fui falar de improviso na campanha. Se cometi erro, não gostaria, como presidente, de dar o exemplo. Peço desculpas se isso causou mal a alguém. Disse para o Ricardo Kotscho (assessor de imprensa da Presidência) colocar no site e não estava aqui quando isso aconteceu – esclareceu.

O presidente Lula defendeu o aumento do superávit primário de 4,25% para 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB), anunciado na quarta-feira pelo ministro da Fazenda, Antonio Palocci.
– Se nós temos folga, vamos assumir nossa responsabilidade – afirmou o presidente em entrevista no Palácio do Planalto a emissoras de rádio e comunicadores locais.

A meta acertada com o Fundo Monetário Internacional (FMI) era de 4,25% do PIB, mas o superávit primário dos últimos 12 meses encerrados em julho ficou em 4,65% do PIB. De janeiro a julho deste ano, o superávit foi de 5,59% do PIB. Em 2003 inteiro, o aperto foi de 4,32%.

Transgênicos

 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que, se houver acordo no Senado, o governo pode utilizar o conteúdo já aprovado do projeto de lei de Biossegurança na Casa e o transformar em uma medida provisória (MP).

O presidente ressaltou que deve conversar hoje com o líder do governo na Casa, senador Aloizio Mercadante (PT-SP), sobre o tema. A intenção é permitir que os produtores agrícolas que utilizam sementes transgênicas não sejam prejudicados e possam iniciar o plantio no próximo mês.

– Se for importante, tiver acordo, eu posso fazer isso – destacou.

Segundo Lula, o governo cumpriu seu papel ao enviar o projeto de lei para o Congresso Nacional. O projeto de lei de Biossegurança foi aprovado na Câmara dos Deputados, mas continua em tramitação no Senado.