Lula volta a insistir na revisão dos acordos com o Fundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 2 de setembro de 2001 as 17:57, por: cdb

Os recentes acordos firmados pelo presidente Fernando Henrique Cardoso com o Fundo Monetário Internacional (FMI) deverão ser revistos, se o pré-candidato e presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, for eleito presidente do País, na sucessão 2002. A previsão foi feita neste domingo pelo próprio Lula, que participou da Caravana de Solidariedade aos Atingidos pela Seca e Contra a Exclusão, patrocinada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pela Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), em Petrolina.

Lula declarou que o compromisso do partido com a população é manter apenas o que for benéfico para o Brasil. “Não concordo com todos os acordos fechados junto ao FMI. Por isso eles deverão ser revistos, se formos eleitos”, comentou. Lula disse ainda que a decisão de “rever” os atuais contratos não significa que o PT colocará em xeque a economia do País. “Os bons projetos serão mantidos, porém não continuaremos com ações que prejudicam o povo brasileiro”.

Sobre a crescente popularidade da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), que aparece em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto para a presidência da República, Lula disse que ainda é cedo para dar grande importância. “Estou em primeiro lugar nas pesquisas, mas tenho consciência que ainda falta muito tempo para as eleições. Não podemos nos acomodar com os atuais resultados.”

Agenda

O candidato petista participou também de um almoço com membros do diretório do PT e se reuniu com o prefeito de Petrolina, Fernando Bezerra Coelho (PPS). Segundo a vice-prefeita de Petrolina, Isabel Cristina (PT), apesar de Bezerra Coelho apoiar a candidatura de Ciro Gomes (PPS) ao Planalto, adversário de Lula, os dois trataram dos rumos da oposição no Estado. “O importante é que as esquerdas se mantenham unidas, pois isso permitirá a vitória já no primeiro turno”, avaliou Lula.

À tarde, o líder do Partidos dos Trabalhadores seguiu para Juazeiro (BA), onde realizou o encerramento do Seminário Políticas Alternativas de Convivência com a Seca e Combate à Fome e Pobreza no Nordeste. Nesta segunda-feira ele visitará Tuparetama e depois participará de uma manifestação em Afogados da Ingazeira – ambos municípios de Pernambuco. Na terça-feira, a caravana segue para Tauá, no Ceará, onde haverá uma visita a uma experiência alternativa ao enfrentamento da seca. Lula participará de manifestação dos sindicatos da região na quarta-feira, e na quinta-feira vai encerrar a caravana em Fortaleza, com um ato público.