Lula troca lágrimas por sorrisos para comemorar Olimpíada no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de outubro de 2009 as 11:54, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou das lágrimas de emoção após a vitória do Rio de Janeiro na disputa pela Olimpíada de 2016 aos sorrisos da comemoração pela conquista, que fez dele o “presidente mais orgulhoso do mundo”.

Horas após ter liderado a marcante vitória do Brasil sobre as concorrentes Chicago, Tóquio e Madri na eleição do Comitê Olímpico Internacional, na sexta-feira, Lula amanheceu neste sábado com o sorriso estampado no rosto devido à realização dos primeiros Jogos Olímpicos na história da América do Sul.

– Foi extraordinária a empolgação que nós conseguimos passar na apresentação – disse Lula a jornalistas, antes de deixar a capital dinamarquesa a caminho da Bélgica.

– Eu ia chorar no discurso, me engasguei várias vezes. Cada vez que falava uma coisa do Rio, vinha a emoção. Quando a gente já tinha vencido, então eu relaxei. Comecei a lembrar da minha vida, das coisas que pareciam impossíveis – acrescentou o presidente, que chorou muito diante das câmeras após a vitória do Rio.

Apesar de todas as atenções terem se voltado para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a campanha de Chicago antes da votação olímpica, Lula passou a ser o protagonista a partir da apresentação da campanha brasileira, que foi considerada pelos eleitores do COI como fundamental para a vitória.

A conquista do Rio foi incontestável, com 66 votos contra 32 de Madri, enquanto a candidatura norte-americana foi eliminada logo na primeira rodada, apesar de Obama ter se tornado o primeiro presidente dos EUA a participar de uma votação do COI. Tóquio foi a segunda cidade eliminada.

Lula, que disse ainda estar “abobalhado” e “sem acreditar” na vitória da cidade, afirmou que a emoção da vitória foi especialmente marcante porque aconteceu contra algumas das principais economias do mundo. Segundo ele, a vitória aumenta ainda mais a importância conquistada pelo Brasil no cenário internacional nos últimos anos, especialmente pela resposta dada à crise econômica.

– As pessoas estão percebendo que existem outros continentes além do europeu, da parte rica asiática e da América do Norte. As pessoas estão percebendo que há coisas importantes em outras regiões do mundo – disse o presidente, que contou ter recebido ligações e cartas de todos os líderes sul-americanos e também do próprio Obama após a vitória.

– Os países da América do Sul estão sentindo que também ganharam. Você imagina a quantidade de argentinos, uruguaios, paraguaios, peruanos que irão acompanhar a Olimpíada no Brasil? A possibilidade de a América do Sul participar será extremamente possível dessa vez. E o Brasil inteiro também. Regionalmente a Olimpíada é do Rio, mas é uma Olimpíada do Brasil – completou.

O presidente, que teve envolvimento na campanha olímpica da cidade desde seu início, conversou por mais de uma hora com jornalistas brasileiros numa entrevista coletiva marcada pela descontração.

Segundo o presidente, o Brasil, que também será a sede da Copa do Mundo de 2014, pode até se arriscar por novos ares.

– Com a mudança climática… já tem lugar em Santa Catarina com neve. É só juntar mais um pouco – brincou o presidente.