Lula tenta mediar conflitos no Oriente Médio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 14 de março de 2010 as 12:28, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao mesmo tempo em que assina tratados comerciais relevantes para o país, encontrou-se neste domingo em meio a um clima de tensão entre israelenses e palestinos, acirrado pelo anúncio da expansão dos assentamentos judeus na Cisjordânia. Lula iniciou, pela manhã, o giro ao Oriente Médio, na primeira visita de um presidente brasileiro a Israel, aos Territórios Palestinos Ocupados e à Jordânia, com a missão de testar sua habilidade de mediador de conflitos.

A posição contrária de Lula às sanções ao Irã, devido ao programa nuclear conduzido pelo presidente Mahmoud Ahmadinejad, também é um ponto de tensão da visita. O apoio ao programa nuclear iraniano não agrada a Israel nem à Autoridade Nacional Palestina (ANP).

Apesar disso, Lula enfrentará o desafio de se colocar como interlocutor em um possível acordo de paz. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, entre os temas internacionais a serem tratados estão a retomada de negociações entre israelenses e palestinos e a disposição do Brasil em contribuir para o encaminhamento do processo de paz no Oriente Médio.

A intenção do governo de Israel de construir mais 1,6 mil casas em Jerusalém Oriental jogou por terra as negociações de paz que estavam sendo intermediadas pelos Estados Unidos. Após Israel decretar o fechamento temporário do acesso à Cisjordânia, manifestantes entraram em choque com policiais em Jerusalém. Além dos protestos internos, a medida provocou críticas da comunidade internacional, inclusive do Brasil.

Em novembro do ano passado, o Brasil recebeu a visita dos presidentes Shimon Peres, de Israel, e Mahmmoud Abbas, da Autoridade Nacional Palestina. O Rei Abdullah II, da Jordânia, esteve no Brasil em outubro de 2008. De acordo com o governo brasileiro, a viagem reflete a crescente aproximação do Brasil com os países do Oriente Médio. Lula tratará do aprofundamento dos laços bilaterais, comerciais e de cooperação com os representantes de cada país.

Tratado comerciais

O Israel Export Institute e a empresa Brais assinaram um acordo para que esta última passe a centralizar toda a exportação de produtos israelenses para o Brasil. O pacto firmado com a visita do presidente Lula ao país como pano de fundo, guarda o objetivo de centralizar as operações comerciais de Israel para os países do Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) e já recebeu a quantia de US$ 30 milhões do Ministério das Finanças para a sua efetivação.

As áreas de operação da Brais, no entanto, ficam restritas aos campos da tecnologia para energia limpa, água, comunicações, serviços médicos e computação da Medicina. A indústria de Defesa está fora do acordo.