Lula se emociona durante visita a projeto social em SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de dezembro de 2003 as 18:20, por: cdb

O presidente Luiz Inácio da Silva voltou a chorar durante um discurso, nesta terça-feira, em São Paulo. Ele se emocionou ao lembrar uma reportagem e ao encontrar catadores de lixo, durante uma visita a um projeto social na capital paulista.

Lula lembrou uma reportagem na qual era entrevistado um catador de lixo no Rio de Janeiro. O entrevistado estava comendo um pedaço de melancia que havia conseguido na rua.

– Este catador falou ‘talvez seja o último pedaço que eu vou comer porque o Lula foi eleito presidente e vai resolver esse problema – relembrou o presidente.

Nesse momento do discurso, Lula parou e soluçou, deixando lágrimas caírem dos olhos. Em seguida, rapidamente, ele retomou o discurso.

Lula afirmou que o encontro com os catadores do projeto “Cor da Rua” foi o melhor presente de Natal que ele já recebeu. “Se tivesse de escolher o presente que me deu mais alegria, seria essa visita.”

– Não acredito que um governante seja capaz de governar um país se sua cabeça funcionar apenas como uma calculadora. O ser humano é movido por emoções, precisa sentir na pele como vive a população desse país – acrescentou.

De acordo com Lula, os catadores disseram que talvez fosse impossível que ele se elegesse presidente se tivesse saído do Nordeste para São Paulo nos dias de hoje.

– Compreendo a situação das pessoas hoje. As pessoas que saem do Nordeste e vem para cá não tem as mesmas condições  – disse Lula.

Lula também disse que ouviu dos catadores de lixo que não basta apenas o Fome Zero distribuir cestas básicas e vales para os mais necessitados. O movimento reivindicou caminhos para a organização e associação das classes mais pobres.

– A verdade nua e crua é que ninguém gosta de viver de favores. Todo o ser humano nasceu para viver às custas de seu trabalho. As pessoas podem até aceitar um favor, uma cesta básica, mas favor tem limite –  disse Lula.

Lula prometeu que vai voltar ao local daqui a um ano para conferir o progresso do projeto. Ele defendeu a regulamentação da profissão de catador. O governo lançou um comitê intraministerial para discutir propostas da área. O presidente recebeu o primeiro certificado Amigo do Catador.
O coordenador do Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável, Eric Soares, disse para o presidente: “O senhor não virou um catador de material reciclável, mas um catador de cidadania”.