Lula saúda anistiados do regime militar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de maio de 2003 as 22:31, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desceu os três andares do Palácio do Planalto e se uniu a um grupo de cerca de 300 anistiados do regime militar que protestavam em frente à Presidência. Na presença de Lula, o grupo que carregava faixas de protesto com os dizeres “Presidente Lula, cadê a anistia do PT e o respeito aos direitos adquiridos?” passou a gritar o slogan “Olê, Olê, Olê, Olá, Lula lá, Lula lá”.

O presidente transitou em meio ao manifestantes, na saída lateral do Palácio do Planalto, durante cerca de dez minutos. As tentativas dos manifestantes de se aproximar, tirar fotos e tocar o presidente causaram tumulto e a presença da imprensa provocou certa irritação no presidente.

– Nós propusemos ao presidente. E ele tem um coração tão grande que nem vacilou. Disse: vamos lá – explicou o ex-sindicalista Vicentinho. Lula foi preso político, em 1980, quando militava no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP) e Vicentinho teve seus direitos cassados durante a ditadura.

Ao descerem, Vicentinho aproveitou para chamar mais oito “companheiros”, todos amigos de Lula, para subirem até o gabinete presidencial. Eles saíram da reunião com fotos do presidente ao lado da primeira-dama, Marisa Silva, com dedicatória especial. “Tem gente aqui que não vai dormir à noite. Lula também se emocionou”, disse Vicentinho sobre o encontro.

Os manifestantes, perseguidos pela ditadura militar, pediram ao presidente que seja cumprida a lei que determina reparação do Estado aos danos causados pelo regime. Vicentinho afirmou que existem cerca de 20 mil anistiados no Brasil cujas indenizações somariam cerca de R$ 400 milhões.