Lula quer atualização das estatísticas socias

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de abril de 2003 as 14:40, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse no início ta tarde desta terça-feira que recomendou ao ministro do Planejamento, Guido Mantega, que pedisse ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que trabalhem para atualizar os dados do país, principalmente na área social.

“Hoje, há números muito antigos, de 1990. Vamos atualizar”, disse Lula sem especificar quais estatísticas seriam atualizadas.

Em discurso durante cerimônia de lançamento de programa habitacional da Prefeitura de São Paulo, Lula disse que, “se o Estado tem dinheiro para financiar grandes empresas, o que é importante para gerar empregos, também pode financiar moradia para quem não pode pagar”.

Delineando a estratégia do governo federal para a questão, Lula disse que, se não puder fazer tudo, vai começar pelo que está pior. “Vamos começar acabando com a palafita. Se puder resolver só isso será apenas isso”, disse, afirmando que o próximo passo seria acabar com favelas em encostas.

Ao destacar a importância que a cidade de São Paulo terá na política habitacional do governo federal, Lula disse que resolver a questão em São Paulo não é apenas favorecer a cidade, “pois São Paulo é uma cidade mundial e nacional”. “Vamos trabalhar em todo o Brasil, mas São Paulo, sendo o que é, não pode ser penalizada por sua grandeza”.

A exemplo do que disse na manhã desta terça-feira na abertura da Feira Internacional da Construção (Feicon), Lula voltou a criticar os empresários de ônibus urbano de São Paulo e a defender a prefeita Marta Suplicy. “Empresário mal caráter tem de ser banido do transporte público de São Paulo”, disse o presidente.

Desde a última segunda-feira (7), a cidade enfrenta uma greve praticamente total no sistema de ônibus urbano e o ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, já havia classificado a paralisação como locaute, greve provocada por empresários.