Lula quer apoio japonês para ocupar cadeira no Conselho da ONU

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 16 de setembro de 2004 as 17:56, por: cdb
Atualizado em 13/11/16 13:02

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira que o Brasil e o Japão têm “indiscutível” vocação para ocupar assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Lula defendeu a renovação das instituições da ONU e pediu o apoio do Japão para o seu pleito que, segundo ele, defende os mesmos princípios que o Brasil.

– É natural, portanto, que o Brasil e o Japão se apóiem mutuamente nesse processo inadiável de atualização das instituições das Nações Unidas às exigências do mundo contemporâneo – afirmou.

Durante um almoço oferecido ao primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, que está em visita oficial ao Brasil, o presidente Lula destacou que a presença de Koizumi no Brasil abre uma nova etapa na relação entre os dois países. Lula ressaltou que o Brasil e o Japão passam por processos de renovação política e econômica.

O presidente brasileiro lembrou que em poucas décadas o Japão se transformou na segunda potência econômica mundial, e disse que o Brasil também está voltando a crescer.

– Reencontramos o caminho do desenvolvimento, de forma sustentável e com justiça social. Colhemos os primeiros frutos de uma política econômica consistente e responsável. Estamos saneando as contas públicas, aprimorando o marco regulatório, reduzindo a vulnerabilidade externa. Mas é fundamental, sobretudo, superar as histórias desigualdades sociais que mancham nossa sociedade e retardam nosso progresso – afirmou.

O presidente Lula manifestou o desejo de que o Brasil volte a ser o destino preferencial dos empreendimentos japoneses. Ele garantiu que irá trabalhar para que o Japão volte a ser fonte de investimentos e de conhecimentos para o Brasil. Para isso, Lula citou a revitalização do Comitê Econômico Brasil-Japão, criado no ano 2000. Segundo Lula, o comitê permitirá que os empresários identifiquem novas oportunidades de investimentos nos dois países.

Lula revelou ainda que aceitou o convite feito por Koizumi para visitar o Japão “proximamente”.

 

Leia Mais:

Lula e primeiro-ministro japonês discutem parceria global