Lula pretende dobrar as negociações com Oriente Médio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de novembro de 2003 as 16:59, por: cdb

Ao partir para uma viagem de 8 dias a 5 países Árabes, a partir da próxima terça-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende criar uma ponte para um mercado que importa US$ 150 bilhões ao ano. O Brasil nunca priorizou a região como potencial fonte de crescimento do comércio exterior nacional. As exportações brasileiras para os países Árabes, apesar de ter crescido nos últimos dois anos, ainda é insignificante. Em 2002, o volume de negócio não ultrapassou US$ 5 bilhões.

O diretor geral do Departamento de Promoção Comercial do Itamaraty, embaixador Mário Vilalva disse que as pretensões do governo brasileiro são, pelo menos, de fazer com que esse comércio cresça dos atuais 3% das transações comerciais brasileira com o resto do mundo, para até 6% nos próximos 5 anos.

O comércio com os países árabes faz parte de um dos três eixos da política de comércio exterior do governo Lula. O primeiro se refere à integração da América do Sul, o segundo à aproximação com continente africano e, agora, com sua viagem a Síria, Líbano, Emirados Árabes, Egito e Líbia o presidente consolida o inicio das negociações para a formação desse terceiro eixo de comércio exterior. Hoje 75% das relações comerciais brasileiras estão restritas aos Estados Unidos e à União Européia.