Lula lamenta morte do jornalista Jair Borin

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 25 de abril de 2003 as 15:51, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros do Partido dos Trabalhadores (PT) lamentaram a morte do jornalista e professor Jair Borin, de 57 anos, ocorrida última terça-feira (22), em São Paulo.

Professor da Universidade de São Paulo (USP), Borin foi militante de primeira hora do PT, onde atuou desde o início dos anos 80. Amigo de mais de duas décadas, o ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome, José Graziano, lamentou a morte do companheiro, classificando-a de uma grande perda, mas ressaltando o exemplo de vida e de militância que Borin deixou.

Graziano conta que Jair Borin, professor de graduação e de pós-graduação na Universidade de São Paulo, foi um dos primeiros jornalistas brasileiros a se especializar em comunicação na área agrícola, campo em que destacou na USP e na grande imprensa, como editor do caderno Agrofolha, da Folha de S. Paulo.

Nos últimos anos, como presidente da Associação dos Docentes da USP, deu prioridade ao fortalecimento institucional da universidade. Borin foi também dirigente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo em duas gestões.

Jair Borin coordenou a elaboração do primeiro Plano Nacional de Reforma Agrária do país. Em 1985, ano em que o país retomou a trajetória democrática, teve participação ativa na Associação Brasileira de Reforma Agrária, ao lado de um dos criadores do ideário de reforma agrária no país, José Gomes da Silva, pai do ministro José Graziano.

Jair Borin teve atuação destacada na imprensa alternativa dos anos 70, defendendo ideais contrários ao regime militar. De acordo com José Graziano, Borin “foi um exemplo de militante ativo”, que marcou sua participação nas campanhas de Lula à Presidência em 1989, 1994, 1998 e em 2002.