Lula já tem 11 compromissos marcados

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 3 de janeiro de 2003 as 00:05, por: cdb

Em seu primeiro dia de trabalho como presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva teve uma agenda cheia: 11 compromissos já confirmados, fora outros que poderiam ser marcados ao longo do dia.

Lula passou a noite na Granja do Torto – a residência oficial que vem ocupando desde o mês passado – e bem cedo seguiu para o Palácio do Planalto, onde estava marcado, para as oito horas, um café da manhã com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.

De início, a agenda já sofreu atraso. Chávez chegou 45 minutos mais tarde para o encontro e se justificou: perdeu a hora porque ficou até as quatro da madrugada conversando com o colega cubano Fidel Castro.

Após o café, Chávez disse à imprensa que Lula prometeu apoio técnico na área petrolífera à Venezuela, quinto maior produtor mundial de petróleo, mas que enfrenta escassez do produto devido à greve geral iniciada no país há um mês.

Chávez acrescentou que as negociações sobre o tipo de cooperação terão início depois que Lula designar o novo presidente da Petrobras.

Ainda pela manhã, estava previsto que Lula receberia as seguintes autoridades, pela ordem: o primeiro-ministro da Suécia, Göran Persson, o principe de Astúrias, Felipe de Borbon y Garcia, o primeiro-ministro de Guiné-Bissau, Marco Antônio Avelino Reis Pires, o presidente de Portugal, Jorge Sampaio, o primeiro-ministro da Guiana, Samuel Hinds, o diretor do Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos, o brasileiro Sérgio Vieira de Melo, e o secretário-geral do Partido Socialista Português, Eduardo Rodrigues.

Para a parte da tarde foram marcadas audiências com o presidente da Câmara dos Comuns do Canadá, Andrew Stewart Milleken, e com o ministro da Economia da Alemanha, Caio Koch-Weser.

Caio Koch-Weser avaliou que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva começa bem seus trabalhos. Após reunião de cerca de uma hora no Palácio do Planalto com o presidente, com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e com o chanceler Celso Amorim, Weser afirmou que o discurso do governo brasileiro sobre responsabilidade fiscal e monetária é “bastante claro” e que “foi bem recebido pelo mercado”.

O ministro alemão disse ainda que os primeiros 90 dias do governo serão muito importantes para a definição das políticas para este ano e revelou que apóia as reformas defendidas pelo novo presidente.

“Me parece que as reformas tributária e previdenciária são fundamentais para se ter sucesso logo no primeiro ano. A Alemanha está disposta a apoiar o Brasil e a discutir o aumento dos investimentos”, garantiu Weser.

Os ministros líbios que vieram visitar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seu primeiro dia de trabalho deixaram de presente um tapete, fotos e lembranças típicas da cultura árabe.

Segundo o ministro das Relações Exteriores da Líbia, Abdelrahman Shalqam, os dois países têm boas relações, “especialmente na área de petróleo” e a tendência para o futuro é de que o comércio bilateral se intensifique.

Após o encontro com os líbios, o presidente encerrou a série de audiências com autoridades internacionais, recebendo o ministro dos Transportes da China, Zhang Chunxian.

O chinês disse que conversou com Lula sobre o relacionamento econômico e bilateral, que hoje dispõe de uma base sólida.

Hoje a China é o quarto maior importador da pauta de exportação brasileira. Chunxian ainda destacou a parceria entre Brasil e China na área de satélites e na área da construção de aviões, graças ao acordo firmado em dezembro com a Embraer.

Às cinco da tarde, Lula despachou com assessores e, encerrando as atividades do dia, receberá Fidel Castro para um jantar à noite na Granja do Torto.