Lula espera por ‘décadas de felicidade’ após eleição de Dilma

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 25 de setembro de 2010 as 16:06, por: cdb
Dilma e Lula em megacomício na capital gaúcha
Dilma e Lula em megacomício na capital gaúcha

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aposta na eleição da sucessora que ele escolheu já no primeiro turno. Lula disse, nesta sexta-feira à noite, que a eleição da candidata do PT Dilma Rousseff garantirá “décadas de felicidade” ao país.

– As condições são favoráveis e tudo indica que podemos ganhar no primeiro turno. Se não der, não há problema, vamos para o segundo – disse Lula durante comício na região central de Porto Alegre (RS) diante de 35 mil pessoas, de acordo com a organização.

A pesquisa Ibope divulgada na noite de sexta-feira mostrou Dilma com possibilidade de ser eleita no primeiro turno. A petista tem 50% da intenção de voto do eleitor, José Serra (PSDB) aparece com 28% e Marina Silva (PV), com 12%. Em seu discurso, Lula defendeu o regime democrático como “a melhor via” para chegar ao poder na América Latina e a importância da imprensa.

– É preciso ter humildade para compreender que a democracia é assim, cada um fala o que quer e transmite o que quer – afirmou.

O presidente voltou a demonstrar satisfação com o andamento da operação de capitalização da Petrobras, considerada a maior já realizada no mundo. Essa operação atingiu R$ 120,36 bilhões. Ao fazer um balanço sobre seu governo, o presidente apontou que as mudanças feitas na Previdência foram “uma revolução”. Segundo ele, os processos de aposentadoria e de concessão de benefícios no país teriam ficado mais ágeis.

Dilma, em seu discurso, lembrou as realizações positivas do governo Lula. Sobre a onda de ataques disparados pelas forças da direita no país, mesmo sem citar nomes, ela garante:

– Nós que somos os verdadeiros democratas, porque acreditamos no povo e na liberdade de expressão.

Visita

Pela manhã, neste sábado, o presidente Lula aproveitou a folga do fim de semana, em São Bernardo do Campo (SP), para visitar, o senador Romeu Tuma (PTB-SP), no Hospital Sírio-Libanês, na região central da capital paulista. Segundo a assessoria do hospital, a passagem de Lula pelo local não alterou a rotina de trabalho já que não exigiu reforços de segurança. Do hospital, Lula seguiu para o apartamento que mantém em São Bernardo do Campo, onde deve permanecer até este domingo. A assessoria da Presidência informou apenas que a visita teve caráter pessoal.

Candidato à reeleição, Tuma está internado desde o dia 1ª deste mês para, segundo o último boletim médico divulgado pelo hospital, tratar um quadro infeccioso de afonia (perda ou diminuição da voz). Neste sábado, a assessoria do Sírio-Libanês informou que ainda não há previsão para que Tuma receba alta médica já que a afonia ainda persiste. Além de exigir cuidados médicos, o problema impediu Tuma de fazer campanha.

De acordo com a pesquisa de intenções de voto divulgada hoje pelo Ibope, Tuma está em quarto lugar na disputa por uma vaga ao Senado por São Paulo, atrás de Marta Suplicy (PT), Netinho de Paula (PCdoB) e Aloysio Nunes (PSDB). Já a pesquisa divulgada ontem, pelo Instituto Datafolha, aponta um empate técnico entre Tuma e Nunes, herdeiro do tempo, no horário eleitoral gratuito de Orestes Quércia (PMDB), que renunciou à candidatura.