Lula e Mujica apoiam congresso nacional da CUT

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 13 de outubro de 2015 as 12:08, por: cdb

Por Redação – de São Paulo

Os ex-presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Uruguai, José Pepe Mujica, encontraram-se durante a abertura do 12º Congresso Nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), nesta terça-feira. Lula também compareceu ao 1º Congresso do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), em São Bernardo do Campo, onde encontrou um público de cerca de 4 mil camponeses de 19 Estados brasileiros.

Mujica e Lula, mais do que presidentes de países vizinhos, são amigos há décadas
Mujica e Lula, mais do que presidentes de países vizinhos, são amigos há décadas

O congresso dos pequenos agricultores acontece entre os dias 12 e 16 de outubro, no Pavilhão Vera Cruz. O tema do encontro é Plano Camponês, Aliança Camponesa e Operária por Soberania Alimentar. Haverá também uma feira com alimentos produzidos pelas famílias camponesas.

Durante o congresso da CUT, a central sindical definirá a nova executiva nacional e apontará a linha política a ser seguida nos próximos quatro anos. As atividades seguirão até o dia 16 de outubro e o tema do encontro é Educação, Trabalho e Democracia.

Presidente da CUT, Vagner Freitas espera que o 12º Congresso Nacional da CUT posicione a maior central sindical do país diante da conjuntura “ m que os setores reacionários pressionam pelo retrocesso e têm ampla presença na mídia, no Judiciário e no Poder Legislativo, enquanto o governo Dilma se vê cada vez mais sob chantagem”. Freitas indica que o Congresso da CUT “ recisa ultrapassar os debates internos e enviar uma mensagem clara para toda a sociedade”.

— Por essa razão, durante o congresso, a central vai divulgar uma proposta de política econômica para o Brasil. E vai levantar, mais uma vez, a bandeira das reformas agrária, tributária, educacional, política e das comunicações — afirmou.

Comunicação

O congresso da CUT, para o qual Mujica foi convidado, também discutirá a democratização da mídia no país, segundo Freitas.

— Discutiremos a reforma da comunicação, do império da desinformação. Esse que é o quarto poder, na verdade, o primeiro, pois se consolida como a principal força conservadora. Há interesse por parte de determinada classe social, de determinado partido político, de não haver debate sobre sociedade brasileira nas suas várias matizes. Você tem uma massificação da informação dominante, daqueles que detêm os meios de comunicação.

Ainda segundo Freitas, atualmente “está acontecendo agora uma cobertura absurda da imprensa: as revistas de circulação nacional na semana passada ignoraram que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, é acusado de ter contas na Suíça, que poderiam fazer parte de um esquema de corrupção, segundo a Procuradoria Geral da República (PGR)”.

— E aqui não estou acusando, acho que ele tem direito a ampla defesa, não faço juízo de valor enquanto ele não tiver o último direito de se defender. Mas as mesmas revistas colocam o presidente Lula, a presidenta Dilma, outros membros do PT e da CUT em capas seguidamente sem nenhuma acusação comprovada. Sou um militante há algum tempo em defesa da democracia, lutei contra a ditadura e o que queríamos é liberdade de imprensa para ter igualdade de informação. Olha o que temos hoje! — concluiu