Lula e ministros iniciam a jornada para acabar com a fome no Brasil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 10 de janeiro de 2003 as 13:22, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a primeira-dama, Marisa Letícia, e 30 ministros desembarcaram na manhã desta sexta-feira no aeroporto de Teresina, capital do Piauí, dando início à viagem pelo semi-árido brasileiro, para lançar o mais ambicioso programa do novo governo, o Fome Zero, que tem como objetivo acabar com a fome no país.

Uma multidão calculada em 3.500 pessoas esperava pela comitiva diante do palanque montado no centro da Vila Irmã Dulce, a 15 quilômetros da capital, o primeiro bolsão de miséria que o presidente e comitiva visitam ao longo de dois dias de viagem pelos estados do Piauí, Pernambuco e Minas Gerais.

Lula visitou algumas casas da comunidade e recebeu documentos com reivindicações dos moradores da região.

Uma das casas visitadas foi a da lavadeira Regilane da Conceição. Mãe de três filhos, ela vive com apenas R$ 40 por mês. Sua casa não tem geladeira e nem fogão.

A maioria dos pedidos que Lula e os ministros recebem é por emprego e material de construção. Muito à vontade, o presidente e o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, caminharam pelas ruas e vielas de mãos dadas com crianças.

A favela irmã Dulce é considerada a maior ocupação irregular da América Latina – um local tão pobre que não há rede de esgoto e água encanada. Cerca de 3.000 barracos compõem o triste cenário.

Lula explicou a razão pela qual não levou a comitiva para o município de Guaribas, no interior do estado, dizendo que a estrutura seria muito grande e cara.

“Se eu tenho que gastar tanto dinheiro para ir até lá, vamos guardar e usar para o combate à fome que a gente ganha muito mais”, disse o presidente, antes de se despedir da comunidade.

Para levar a comitiva presidencial até Guaribas Lula precisaria ir em dois boeings presidenciais até Petrolina (PE). De lá, seriam necessários mais três aviões (modelo Brasília) para ir até a cidade de São Raimundo Nonato, terminando o trajeto até à pequena Guaribas em cinco helicópteros do Exército.

Emocionado, assumiu um compromisso: “vamos ajudar a melhorar este país”. “Não posso prometer que amanhã tudo estará resolvido, isso não é uma promessa – é um compromisso de que vou voltar nessa vila e vamos conversar com orgulho, porque vocês vão ter conquistado a cidadania”, afirmou.

À tarde, Lula seguirá para Recife, capital de Pernambuco, onde mostrará a sua comitiva a favela de palafitas Brasília Teimosa, uma das mais antigas da cidade.

Apenas três ministros não participam da comitiva presidencial – Márcio Thomas Bastos, da Justiça, Ricardo Berzoini, da Previdência Social, e Luiz Gushiken, da Comunicação de Governo.

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, também ficou de fora, uma vez que estava de viagem marcada para a Suíça.

Após visitar localidades carentes, os ministros do Governo Lula poderão direcionar suas políticas de trabalho para solucionar os principais problemas de miséria do país.

A expectativa é do prefeito do Recife, João Paulo, que disse acreditar na implementação de ações integradas pelos diversos ministérios como a melhor maneira para diminuir o sofrimento de milhares de brasileiros.

Em entrevista à Agência Brasil, o prefeito revelou-se bastante otimista com as metas do governo federal de combater as desigualdades sociais.

“Lula será um diferencial na nossa história. Nenhum presidente tem uma história de vida como ele e isto se refletirá na maneira como ele direciona as suas políticas para o resgate da cidadania do povo”, afirmou.

A viagem do presidente prossegue no sábado, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, onde a Caravana da Fome visitará a comunidade de Itinga.