Lula diz que Ministério do Esporte veio para ficar e elogia Agnelo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de novembro de 2003 as 19:02, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a falar na tarde desta quinta-feira na reforma ministerial, prevista para dezembro. Lula, que de manhã havia deixado transparecer a intenção de manter no cargo o ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia, afirmou que não vai mexer no Ministério do Esporte.

Na solenidade de despedida da delegação brasileira que vai aos II Jogos Parapanamericanos de Mar del Plata (Argentina), o presidente disse que Ministério do Esporte veio para ficar e elogiou o trabalho do comandante da pasta, Agnelo Queiroz.

Depois de dizer que Agnelo tem se saído de forma surpreendente no comando do ministério, Lula destacou as ações que o ministro tem levado a todo o país, para inclusão esportiva de milhões de brasileiros, como algo que nunca foi feito na história do país.

– Nós estamos completando hoje 10 meses e 27 dias de governo. Ainda temos três anos e três dias para terminar nosso mandato. Se, em 10 meses, o Agnelo já fez tudo isso, imaginem o que a gente não vai fazer nos próximos três anos na área do esporte neste país – afirmou o presidente.

Bem disposto, Lula entrou no salão para se despedir dos 186 atletas da delegação brasileira que disputará os Jogos Parapanamericanos. Antes do locutor começar a falar, o presidente correu em direção aos atletas paraolímpicos, apesar da dor no pé, que torceu na semana passada, e cumprimentou boa parte da delegação, tirando fotos e brincando com todos.

Em discurso, Lula pediu à imprensa para que destacasse três nomes da equipe brasileira que vai aos II Jogos Parapanamericanos e à Paraolímpiada de Atenas com grandes chances de medalha.
O presidente se referia a Ádria Rocha dos Santos – “ela é aquela moça bonita que eu beijei e nem sabia que era a Ádria” – campeã e recordista paraolímpica no atletismo, nas provas de 100, 200 e 400 metros rasos.

– Ela é, hoje, a velocista portadora de deficiência visual mais rápida do universo paraolímpico – disse Lula, que acrescentou, brincando: “Ela está tão pomposa com as suas medalhas que nem o uniforme de vocês ela está vestindo mais”. Ádria estava com um vestido cor-de-rosa.

Lula fez também menção aos atletas Clodoaldo Francisco da Silva, que apresenta dificuldades de movimento nas duas pernas e uma pequena falta de coordenação motora, mas tem o título de melhor nadador paraolímpico, nas provas de 50, 100 e 200 metros rasos, e Roseane Ferreira dos Santos, a Rosinha, que conquistou três medalhas de ouro nas modalidades de arremesso de peso e de disco no Mundial da Nova Zelândia, em 1999. Roseane foi ouro também no
Pan-Americano do México e na Paraolímpiada de Sydney, em 2000.

Na solenidade, quem deu a boa notícia para o esporte paraolímpico foi a Caixa Econômica Federal, cujas loterias firmaram contrato de R$ 1 milhão para custear bolsas de 200 atletas paratletas e técnicos.

O contrato, assinado pelo presidente da Caixa, Carlos Mattoso, e pelo presidente do Comitê Paraolímpico Brasileiro, Vital Severino Neto, vai durar até o final de 2004 e cobrirá as Paraolímpiadas de Atenas e outras competições importantes, como o Parapanamericano de Mar del Plata, a ser realizado de 3 a 10 de dezembro.