Ligação de doleiro com juiz é confirmada por conversas telefônicas interceptadas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de novembro de 2003 as 04:48, por: cdb

Conversas telefônicas interceptadas pela Operação Anaconda confirmam o vínculo entre o doleiro Antônio Oliveira Claramunt, o Toninho da Barcelona, e o juiz federal da 7ª Vara Criminal, João Carlos da Rocha Mattos.

Conforme a Polícia Federal, o grupo preso sob acusação de participar de um esquema de venda de sentenças judiciais, temia a revelação destas conversas.

O agente federal César Herman Rodriguez, braço direito do juiz Rocha Mattos, se mostra preocupado em diálogo com o delegado federal José Augusto Bellini em 24 de março de 2003.

– É ruim porque vincula ele [Rocha Mattos], inclusive ao pessoal que está preso – declarou, em conversa grampeada.

O ‘pessoal preso’ citado por Rodriguez eram, segundo a polícia, os funcionários da casa de câmbio de Claramunt em São Paulo, a Barcelona Tour, que foi alvo de uma investigação do Ministério Público Federal.

No dia 17 de março, a operação contra a Barcelona resultou na prisão de cinco pessoas, além de captar conversas telefônicas de quatro delegados e quatro agentes federais com o doleiro. Claramunt conseguiu escapar, e obteve em outubro habeas-corpus no Supremo Tribunal Federal.