Liège: seminário deixou claro que lugar de mulher é na política

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de dezembro de 2012 as 13:06, por: cdb

Boas perspectivas. Esta é a definição da maioria das mulheres após participarem do Seminário Poder e Políticas Públicas para as Mulheres ocorrido neste fim de semana. O objetivo foi de homenagear e contribuir para o mandato das mulheres que concorreram às eleições deste ano. A abertura do evento ocorreu na manhã do sábado (8), com o agradecimento da secretária Nacional da Mulher do PCdoB, Liège Rocha “a todas as vencedoras: tanto as que ganharam como as que lutaram por isso, parabéns!”.

O evento, que reuniu mulheres de diversos estados, ocorreu nos dias 8 e 9 de Dezembro, no Novotel Jaraguá, em São Paulo.

Ouça na Rádio Vermelho

PCdoB debate rumos e políticas públicas para as mulheres
  Em seguida, Liège convidou a mesa de debates o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo e a vice-prefeita de São Paulo eleita este ano, Nádia Campeão. “Temos muito que comemorar. Podemos melhorar o desempenho das mulheres na política. Faremos o que for possível para representar bem o nosso partido e também as mulheres. A mulher pode fazer muito bem e tem condições de combinar suas lutas pessoais com as políticas”, agradeceu a vice-prefeita eleita. 

Mostrando os obstáculos enfrentados pelas mulheres que se inserem na política brasileira, o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, fez um balanço. “Para vocês romperem essas amarras não foi nem é nada fácil”, afirmou.

Para finalizar sua participação o Presidente Nacional do Partido falou sobre as bandeiras de luta e a necessidade dos mandatos trabalharem na defesa dessas ideias. “Os 10% do PIB para a educação é uma bandeira do nosso partido, e a Presidenta apoiou esta idéia”.

Destacou também que o PCdoB luta pela redução de jornada de trabalho para 40 horas semanais e o fim do Fator Previdenciário.

Liège conclui a primeira parte apresentando os números das vencedoras na política pelo partido. “Neste ano, o PCdoB elegeu três mulheres prefeitas, 19 vice-prefeitas e 133 vereadoras”, comemora.
No período da tarde, o demógrafo e professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do IBGE, José Eustáquio Diniz Alves, apresentou diversos dados. Conforme estudos realizados pelo IBGE sobre a redução das desigualdades de gênero na América Latina, Caribe (ALC) e Brasil, as mulheres já ultrapassaram os homens em quase todos os níveis de educação. “No entanto, na política os avanços andam a passos de tartaruga. No Brasil, 1.325 municípios não elegeram nenhuma mulher vereadora este ano. Em contrapartida, temos 23 localidades em que elas são a maioria. As cidades de Fronteiras e Barras, no Piauí contam com 60% de representatividade feminina nas câmaras municipais”, aponta.

Fechando o primeiro dia do evento, a economista e coordenadora geral do Programa de Ações da Educação da Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República, Hildete Pereira, abordando o tema “O Plano Nacional de Políticas para Mulheres”, explicou sua funcionalidade e fez um breve histórico do programa. “Nos últimos 40 anos, a política ressurge com muita força para as mulheres”, disse.

No domingo (9), o Seminário teve início com a palestra sobre Plano Nacional de Desenvolvimento, apresentada pelo jornalista, Dilermando Toni. “De 1930 a 1980, a taxa média de crescimento foi a maior mundo Ocidental, chegando a 7% ao ano. Com isso, foi possível a industrialização do país”, explicou.

Em seguida, a secretária Nacional da Mulher do PCdoB, Liège Rocha abordou as bandeiras de luta das mulheres. Problemas relacionados ao aborto foi uma delas, já que essa é a terceira causa de mortalidade materna no Brasil. Ela também apresentou estudos mostrando algumas particularidades na população feminina de nosso país que devem ser ressaltadas.

Pesquisas recentes apontam que as mulheres da chamada classe C são as principais responsáveis pelo orçamento familiar respondendo por 37% da renda total da classe média. Estas mulheres é que fizeram circular em 2010 cerca de 158 bilhões de reais.

“As mulheres já são mais da metade da população brasileira e cada vez mais decisivas na economia e na política. Assumem, também, papel de destaque nos municípios. São elas as beneficiárias diretas dos principais programas sociais do governo federal: Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida”, finaliza.

Na última parte do evento, o assessor parlamentar da liderança do PCdoB na Câmara Federal, Guilherme Assunção, falou sobre o funcionamento das instituições brasileiras e como as parlamentares comunistas podem aproveitar bem seus mandatos.

Fonte: Agência Século

 

..