Líder: governo aceita alterar critérios de nomeação para Comissão da Verdade

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de setembro de 2011 as 19:20, por: cdb

Entenda a Comissão da Verdade

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse há pouco que está mantida a votação para hoje do Projeto de Lei 7376/10, do Executivo, que cria a Comissão Nacional da Verdade.

Segundo informou, o governo está disposto a aceitar a emenda do DEM que estabelece critérios para nomeação dos participantes da Comissão da Verdade e também uma emenda do PSDB que abre espaço para as pessoas irem à comissão, mesmo que não tenham sido chamadas, para prestar depoimento.

O líder do DEM, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), listou os critérios que deverão ser respeitados na composição da comissão por parte do presidente Dilma, que vai indicar os integrantes:
– não pode ter função executiva em partido político;
– não pode exercer cargo de confiança em nenhuma esfera do poder pública; e
– não pode ser pessoa incapaz de exercer a atribuição com imparcialidade.

Questionado sobre quem vai definir quem é imparcial, o ACM Neto afirmou que acredita na capacidade da presidente de ser criteriosa pelo fato de ser uma determinação legal e o governo sempre ter tratado do tema como um assunto suprapartidário.

Os líderes partidários continuam reunidos com os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, e o assessor do Ministério da Defesa José Genuíno.

Assista à sessão ao vivo

Tempo real:21:32 – Plenário retoma sessão para analisar Comissão da Verdade20:39 – Deputados negociam votação da Comissão da Verdade, sessão está suspensa20:06 – Câmara amplia para até 90 dias aviso prévio de trabalhador19:52 – Plenário aprova urgência para projeto que cria Comissão da Verdade19:29 – Deputados iniciam votação sobre pedido de urgência para Comissão da Verdade19:21 – Plenário debate pedido de urgência para criação da Comissão da Verdade19:14 – Marco Maia: regulamentação da Emenda 29 mostra independência do Parlamento18:49 – Câmara rejeita novo tributo para financiar saúde18:40 – Líder do governo libera base aliada para derrubar tributo para saúde18:35 – Plenário inicia votação nominal de destaque sobre novo tributo para saúde17:34 – Deputado acha que Senado não poderá criar fonte de financiamento para saúde17:21 – Líder do PMDB quer que Senado assuma “ônus” de financiamento para saúde16:35 – Plenário inicia Ordem do Dia para votar regulamentação da Emenda 29Reportagem – Rodrigo Bittar
Edição – Regina Céli Assumpção