Lesões afastam estrelas brasileiras dos gramados até 2004

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de novembro de 2003 as 19:54, por: cdb

O final de ano não é dos melhores para os jogadores brasileiros espalhados pelo planeta. Só nas últimas semanas, cinco craques com passagens pela Seleção Brasileira sofreram lesões que devem tirá-los de campo no final de 2003.

O primeiro deles foi o lateral-esquerdo César, que atua na Lazio da Itália, onde vivia grande fase. O ex-jogador do São Caetano praticamente não jogou na temporada 2003-04, porque estava lesionado. Quando recuperou-se, a poucos dias do seu retorno, a fratura de um osso no pé esquerdo, sofrida durante um treino, tirou suas esperanças de voltar ao time ainda em 2003.

Em situação ainda pior pode estar o meia-atacante Amoroso, ex-Guarani e Flamengo, hoje no Borussia Dortmund. O jogador, que machucou o joelho há cerca de seis semanas em um jogo do Campeonato Alemão, veio ao Brasil para se recuperar, mas tem sentido muitas dores nos últimos dias.

Com isso, a possibilidade de uma operação nos ligamentos cruzados é a cada dia mais possível, segundo informa o médico do clube alemão, Dr. Markus Braun. Caso seja operado, em uma cirurgia que deve ser realizada nos Estados Unidos, Amoroso, hoje com 29 anos, ficará entre seis e oito meses afastado do futebol, voltando, assim, apenas no segundo semestre de 2004.

Mas este último final de semana foi mesmo o mais crítico no que diz respeito às lesões de brasileiros, sobretudo para dois atletas que atuam na Itália: o lateral-esquerdo Serginho, do Milan, e o atacante Adriano, do Parma.

Adriano sofreu uma lesão muscular na coxa esquerda e ficará, segundo o departamento médico do Parma, pelo menos 60 dias longe dos gramados. Dessa forma, o brasileiro tem interrompida uma das melhores fases de sua carreira: além de estar sendo constantemente chamado para a Seleção Brasileira, Adriano era o vice-artilheiro do Campeonato Italiano, com sete gols marcados em oito rodadas.

O problema de Serginho, ocorrido na partida do último sábado contra a Juventus, ainda precisa ser melhor avaliado, o que deve acontecer em um exame de ressonância magnética nesta terça-feira. Os primeiros exames, porém, já constataram rompimento nos ligamento do tornozelo, o que deve bastar para tirar o atleta de campo no restante de 2003.

Por fim, um problema ocorrido aqui mesmo, no Brasil, mas possivelmente o menos grave de todos: o meia Ricardinho, do São Paulo, que sentia fortes dores no joelho e desfalcou sua equipe nos jogos contra The Strongest e Coritiba, realizou uma artroscopia nesta segunda-feira, em São Paulo.

O prazo para recuperação deste tipo de operação varia entre quatro a seis semanas. Ou seja: no melhor dos casos, Ricardinho poderia estar apto para voltar ao time na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Internacional, em Porto Alegre. Já no caso de uma recuperação em cinco semanas, ele poderia voltar apenas depois do término do Brasileiro e, consequentemente, da temporada.