Lei Rubem Braga patrocina 9º Encontro de Chorinhos e Chorões no Alagoano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 11:24, por: cdb

Publicada em 18/04/2012, às 14h15

Por Brunella França

Lei Rubem Braga patrocina 9º Encontro de Chorinhos e Chorões no Alagoano

Imagem divulgação

Reduto de poetas da música, a comunidade do Alagoano celebra o Dia Nacional do Choro, nesta sexta-feira (20), a partir das 20h.

O 9º Encontro de Chorinhos e Chorões será realizado na praça Antônio Trajano dos Santos, que fica no alto da comunidade, em frente ao campo de futebol. O evento tem o patrocínio da Lei Rubem Braga de Incentivo à Cultura.

Na programação, os grupos Choro Jovem da Fames, Grupo de Choro Carne de Gato, Fabiano Mayer Quinteto, Marco Pereira e Rogério Caetano e Henrique Cazes e Raimundo Machado. O Encontro é aberto ao público e a entrada é franca.

Segundo o agitador cultural e um dos idealizadores do evento, Raimundo de Oliveira, o Alagoano é um dos poucos lugares do Brasil a celebrar a data dedicada ao gênero. “No repertório, o público poderá apreciar composições de Pixinguinha e outros grandes imortais do Choro”, diz.

O secretario municipal de Cultura, Alcione Pinheiro, destaca a importância do evento como valorização da comunidade do Alagoano e também como uma forma de comemorar o dia do Choro. “A comunidade do Alagoano é um espaço vocacionado para esse gênero musical. O Encontro de Chorinhos e Chorões vem para acrescentar na comunidade, buscando o crescimento e o fortalecimento do Choro naquela comunidade”, afirma.

O 9º Encontro de Chorinhos e Chorões é uma promoção da Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames) em parceria com a Associação Cultural Boca da Arte e da comunidade do Alagoano.

Data comemorativa

Samira Gasparini

O Dia Nacional do Choro é comemorado no dia 23 de abril em referência à data de nascimento de Pixinguinha, no ano de 1897. O autor de “Carinhoso” é um dos maiores ícones da música popular brasileira. Compositor, instrumentista, flautista e arranjador, Alfredo Vianna da Rocha Filho estabeleceu as bases da música popular no País e deu início a uma linguagem orquestral brasileira.

Neto de africanos, nasceu na cidade do Rio de Janeiro. O agitador cultural Raimundo de Oliveira explica que o nome Pixinguinha se originou da fusão dos termos Pizim Dim, apelido dado pela avó – que significa pequeno bom –, e Bexiguinha, alcunha que o artista recebeu na ocasião em que contraiu bexiga (varíola).

Pixinguinha foi o pioneiro na introdução de elementos da música afro-brasileira e da música rural nas polcas, valsas e tangos dos chorões. Junto com outros seis músicos, formou o primeiro conjunto a conquistar fama na história da música nacional, Os Batutas, na década de 1920.

Serviço
9º Encontro de Chorinhos e Chorões
Atrações: Choro Jovem da Fames, Grupo de Choro Carne de Gato, Fabiano Mayer Quinteto, Marco Pereira e Rogério Caetano e Henrique Cazes e Raimundo Machado.
Quando: sexta-feira (20), a partir das 20 horas.
Onde: Praça Antônio Trajano dos Santos, em frente ao campo de futebol do Alagoano.
Mais informações: (27) 3636-3611
Entrada gratuita.

Com edição de Deyvison Longui