Lava Jato: PF investiga obras de ferrovias Norte-Sul e Leste-Oeste

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016 as 11:25, por: cdb

 

As investigações apontam que as empreiteiras realizavam pagamentos regulares, por meio de contratos falsos, a um escritório de advocacia e a duas empresas de Goiás

 

Por Redação, com Reuters – do Rio de Janeiro:

 

A Polícia Federal lançou operação nesta sexta-feira para investigar o suposto pagamento de propina por parte de várias empreiteiras envolvidas na construção das ferrovias Norte-Sul e Integração Leste-Oeste, com desvio de ao menos R$ 630 milhões, em um desdobramento de apurações da Lava Jato, informou a polícia em comunicado.

A operação, chamada O Recebedor, tem como base elementos fornecidos em acordo de leniência e delação premiada fechado pela empresa Camargo Corrêa com o Ministério Público Federal de Goiás em colaboração com a força-tarefa da Lava Jato, no qual a empreiteira confessou a prática de cartel, corrupção, lavagem de dinheiro e crimes de licitação, além de se comprometer a restituir R$ 800 milhões aos cofres públicos.

A Polícia Federal lançou operação nesta sexta-feira para investigar o suposto pagamento de propina por parte de várias empreiteiras envolvidas na construção das ferrovias Norte-Sul
A Polícia Federal lançou operação nesta sexta-feira para investigar o suposto pagamento de propina por parte de várias empreiteiras envolvidas na construção das ferrovias Norte-Sul

Desse total, R$ 65 milhões serão destinados a ressarcir danos causados à Valec, estatal responsável pelas ferrovias, de acordo com o MPF.

– As diligências que estão sendo realizadas nesta sexta-feira têm por objetivo recolher provas de pagamentos de propina a ex-diretores da Valec, por empreiteiras contratadas para construir as ferrovias Norte-Sul e Integração Leste-Oeste, da prática de cartel e lavagem de dinheiro, revelados pela Camargo Corrêa – disse o MPF em comunicado.

Em seu acordo de leniência, a Camargo Corrêa entregou provas documentais e testemunhais contra outras empreiteiras integrantes do esquema de corrupção, bem como contra o ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, um dos alvos da operação desta sexta, segundo o MPF.

De acordo com os procuradores, a empreiteira admitiu ter pago mais de R$ 800 mil em propina apenas para Neves, conhecido como Juquinha.

As investigações apontam que as empreiteiras realizavam pagamentos regulares, por meio de contratos falsos, a um escritório de advocacia e a duas empresas de Goiás que eram utilizadas como fachada para recebimento de dinheiro proveniente de fraudes em licitações públicas.

Segundo a PF, foram expedidos sete mandados de condução coercitiva e 44 mandados de busca nos Estados do Paraná, Maranhão, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Goiás, além do Distrito Federal. Os suspeitos são acusados dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

– Somente no Estado de Goiás, foi detectado um desvio da ordem de mais de R$ 630 milhões, considerando-se somente os trechos executados na construção da Ferrovia Norte-Sul – disse a Polícia Federal em comunicado.

Policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão em um prédio da Odebrecht no Rio de Janeiro e, em São Paulo, também foram alvo da operação as construtoras Queiroz Galvão, Mendes Júnior, OAS, Galvão Engenharia, Constran e Serveng.

– As buscas visam a recolher provas do pagamento de propina para a construção das ferrovias Norte-Sul e Integração Leste-Oeste, bem como da prática de cartel e lavagem do dinheiro ilícito obtido por meio do superfaturamento de obras públicas – acrescentou a polícia.