Kofi Annan recebe o Nobel da Paz em meio à guerra no Afeganistão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 12 de outubro de 2001 as 10:20, por: cdb

Em um início de novo século marcado pelo recrudescimento do terrorismo e das guerras, uma organização e um indivíduo voltados exclusivamente para as causas humanitárias ganharam, nesta sexta-feira, o Prêmio Nobel da Paz: as Nações Unidas e seu secretário-geral, Kofi Annan.

Diversos organismos da ONU ou pessoas ligadas à organização já haviam ganhado o prêmio no passado. Mas esta é a primeira vez que a entidade inteira é condecorada.

Os cinco membros da comissão norueguesa que outorga o Nobel da Paz não vinham dando qualquer indício de quem seria escolhido. Apenas confirmavam que 136 indicações haviam sido recebidas até o prazo final de inscrições, em 1 de fevereiro.

O presidente da comissão, Gunnar Berge, anunciou o vencedor da centésima edição do prêmio e seu cheque de 934 mil dólares no Instituto Nobel, na região central de Oslo, a capital da Noruega.

Alguns candidatos já eram conhecidos, por terem sido divulgados por quem os indicou, e incluíam a brasileira Zilda Arns, diretora da Pastoral da Criança, o grupo de meditação chinês Falun Gong (alvo inflexível da perseguição de Pequim), a Corte Européia de Direitos Humanos, o mediador norte-americano Richard Holbrooke, o presidente cubano Fidel Castro e até mesmo o futebol.

Além da ONU como todo, seu tribunal de crimes de guerra para a antiga Iugoslávia, com sede em Haia, na Holanda, também concorria ao prêmio.

O secretário da comissão, Geir Lundestad, revelou que o vencedor foi escolhido em 28 de setembro, ou seja, 17 dias após a ação terrorista contra o World Trade Center, em Nova York, e o Pentágono, em Washington.

Lundestad acrescentou que, embora a comissão estivesse obviamente ciente dos ataques e da guerra norte-americana contra o terrorismo, a maior parte do processo decisório aconteceu antes dos atentados.

A cerimônia de entrega do prêmio será realizada em 10 de dezembro em Oslo e espera-se a presença de 34 laureados ao longo da história do Nobel.

O prêmio, em suas diversas categorias, foi criado pelo industrial sueco Alfred Nobel e é sempre entregue no aniversário de sua morte.

O primeiro Nobel da Paz foi outorgado em 1901 e condecorou Jean Henry Dunant, fundador da Cruz Vermelha Suíça.

No ano passado, o vencedor foi o presidente sul-coreano Kim Dae-jung, por seus esforços de reconciliação com a Coréia do Norte.