Kirchner provocará conflitos com militares, diz Menem

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de maio de 2003 as 23:37, por: cdb

O ex-presidente Carlos Menem afirmou na noite desta segunda-feira que seu adversário no segundo turno das eleições presidenciais, Néstor Kirchner, provocará conflitos com os militares com a promessa de eliminar as leis de anistia envolvendo a última ditadura (1976-1983).

– Kirchner fez um pacto com (a ex-candidata presidencial de esquerda) Elisa Carrió para anular as leis de Obediência Devida e Ponto Final, o que vai gerar um grave conflito com as Forças Armadas – disse Menem em um discurso na sede do sindicato dos petroleiros.

A eventual anulação das leis de anistia “colocará mais de 7.000 homens das Forças Armadas em uma nova situação de enfrentamento com a sociedade”, advertiu o ex-presidente.

Menem disse que Kirchner tentará “degolar a Suprema Corte de Justiça”, organismo que foi acusado pelo Congresso de servir aos interesses políticos de Menem entre 1989 e 1999.

A Suprema Corte está analisando decisões de primeira e segunda instâncias declarando inconstitucionais as leis de anistia sancionadas pelo Congresso sob a pressão das rebeliões dos militares “carapintadas”, durante o governo do radical Raúl Alfonsín (1983-1989).

O Supremo está inclinado a rejeitar as decisões contra as duas leis de anistia, que eximem de culpa os militares subordinados que mataram ou torturaram.