Justiça federal acatou denúncia contra Antério Mânica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de setembro de 2004 as 15:52, por: cdb

A Justiça Federal de Belo Horizonte acatou denúncia contra o candidato à prefeitura de Unaí (MG), Antério Mânica, um dos suspeitos de ser o mandante do assassinato dos fiscais do Trabalho em janeiro. Antério foi preso na última quinta-feira, dia 16.

A polícia prendeu, até hoje, nove suspeitos de participar do “crime de Unaí”. No dia 28 de janeiro, três fiscais e motorista do Ministério do Trabalho foram mortos, com tiros da cabeça. Eles estavam fiscalizando as condições de trabalho na região.

Além dos irmãos Mânica, estão detidos: Hugo Alves Pimenta, José Alberto de Castro, Francisco Elder Pinheiro, Erinaldo de Vasconcelos Silva, Rogério Alan Rocha Rios, Willian Gomes de Miranda e Humberto Ribeiro dos Santos.

Os seis primeiros foram denunciados pelos crimes de homicídio doloso triplamente qualificado e formação de quadrilha; Erinaldo vai responder ainda pelo crime de receptação (foi ele quem adquiriu o veículo – furtado – utilizado durante a abordagem às vítimas). Já Humberto Ribeiro foi denunciado somente pelos crimes de quadrilha e favorecimento pessoal, porque sua participação restringiu-se a subtrair, alguns dias depois do crime, a folha do registro de hóspedes do hotel em que Erinaldo e Rogério Alan estiveram hospedados.

A participação de cada um dos denunciados foi descrita detalhadamente pelo Ministério Público. Erinaldo Silva e Rogério Alan atiraram contra as vítimas; Willian Gomes, motorista da quadrilha, foi quem conduziu os comparsas e ajudou a desovar o veículo no lago Paranoá em Brasília. Os três foram arregimentados por Francisco Pinheiro, um agenciador de pistoleiros da região de Formosa (GO). Francisco Pinheiro foi quem gerenciou a execução do crime, tarefa na qual contou com a ajuda de José Alberto de Castro, agindo a mando de Hugo Alves Pimenta, este último testa-de-ferro de Norberto Mânica.