Justiça dos EUA quer marcar reunião com a Microsoft

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de agosto de 2001 as 18:11, por: cdb

O Departamento de Justiça (DOJ) do governo norte-americano entrou com um pedido junto à Corte Distrital americana solicitando uma conferência emergencial, para o dia 21 de setembro, na ação judicial antitruste movida desde a época da administração Clinton contra a Microsoft.
O DOJ quer que a Justiça marque um encontro entre as duas partes para agendar os procedimentos da nova fase do processo e, na verdade, tentar acelerar a solução para este caso que já se arrasta há, pelo menos, dois anos. De acordo com as informações divulgadas pelo Departamento de Justiça, o pedido foi feito “devido a um grande interesse público em resolver as questões pendentes do caso”.

Outra mudança recente no processo foi que uma Corte de Apelação decidiu, na última sexta-feira, devolver o processo à Corte Distrital, que já escolheu por sorteio o novo juiz que será responsável pelo caso de agora em diante, a juíza Colleen Kollar-Kotelly.

A Corte de Apelação concordou ainda com a decisão do juiz Thomas Penfield Jackson a respeito da constatação de que a Microsoft detém um monopólio ilegal na área de sistemas operacionais, mas decidiu que fossem marcadas novas audiências antes da tomada da decisão de que a empresa seja dividida em duas companhias independentes e de que forma esse processo será executado. Além disso, a Corte de Apelação definiu também que o juiz Jackson fosse afastado do caso por ferir o código de ética quando fez comentários públicos sobre o processo com repórteres.