Justiça decreta prisão de diretores de empresa por venda ilegal de ingressos no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de agosto de 2016 as 10:31, por: cdb

Dois funcionários da empresa, entre eles um diretor e uma intérprete, já tinham sido presos em flagrante pela Delegacia de Defraudações da Polícia Civil

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

 

Quatro diretores da empresa inglesa THG tiveram prisão decretada pela Justiça por suspeita de envolvimento em um esquema internacional de venda ilegal de ingressos. O nome dos diretores ainda não foi divulgado pela Polícia Civil.

O nome dos diretores ainda não foi divulgado pela Polícia Civil
O nome dos diretores ainda não foi divulgado pela Polícia Civil

Dois funcionários da empresa, entre eles um diretor e uma intérprete, já tinham sido presos em flagrante pela Delegacia de Defraudações da Polícia Civil, com mil ingressos que estavam sendo comercializados por preços elevados. Ao todo, seis pessoas estão sendo investigadas no esquema.

A THG (The Hospitality Group) é especializada no comércio de ingressos esportivos e receptividade executiva em grandes competições. O presidente da empresa, James Sinton, já tinha sido investigado por cambismo (venda de ingressos por preços acima do permitido) na Copa do Mundo de 2014.

Fernandinho Beira-Mar

Policiais federais prenderam um suspeito de chefiar a venda de drogas nas favelas Beira-Mar e Parque das Missões, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo a Polícia Federal, o preso, identificado apenas como Menor, é homem de confiança do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e estava foragido há quase dois anos.

Segundo a Polícia Federal, Menor estava preso na Penitenciária de Bangu 5 mas, em outubro de 2014, ele conseguiu fugir do sistema penitenciário. Desde então, usava um documento de identidade falso.

No momento da prisão, o homem estava dormindo e não ofereceu resistência. Condenado a 15 anos e 10 meses de prisão por tráfico e formação de quadrilha, Menor também foi preso em flagrante pelo uso de documento falso.