Justiça condena mais um policial acusado de participar de chacina da Baixada

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 as 19:26, por: cdb

A Justiça do Rio de Janeiro condenou na quarta-feira mais um policial militar pela participação na chacina da Baixada Fluminense, ocorrida no dia 31 de março de 2005, em Nova Iguaçu e Queimados (RJ).

O cabo José Augusto Moreira Felipe foi julgado pelo Tribunal do Júri de Nova Iguaçu (RJ) e condenado a 542 anos de prisão, por 29 homicídios, uma tentativa de assassinato e formação de quadrilha. Ele é o segundo soldado a ir a julgamento dos cinco acusados de participação.
Antes de Felipe, o soldado Carlos Jorge de Carvalho já havia sido condenado, em agosto do ano passado, a 543 anos de prisão pelos mesmos crimes.

Na noite do dia 31 de março de 2005, os criminosos levaram terror a uma extensão de 15 quilômetros entre as cidades de Nova Iguaçu e Queimados. As vítimas não tinham antecedentes criminais e foram escolhidas a esmo enquanto conversavam na porta de casa ou andavam pelas ruas. Entre as vítimas, estavam crianças, estudantes, comerciantes, desempregados, funcionários públicos, marceneiros, pintores e garçons.

O Ministério Público chegou a denunciar 11 PMs pelos crimes e o grupo acabou preso. Em fevereiro de 2006, a juíza Elizabeth Machado Louro admitiu parcialmente a denúncia e pronunciou cinco deles para irem a júri popular.

De acordo com o TJ, outros dois policiais foram pronunciados apenas por formação de quadrilha: o cabo Gilmar Simão, assassinado em outubro de 2006; e o cabo Ivonei de Souza, que entrou com recurso contra a decisão. Os demais foram postos em liberdade, a pedido do Ministério Público, pois não foram encontrados indícios suficientes para incriminá-los.