Juros de 26,5% agradam economistas internacionais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 22 de maio de 2003 as 04:37, por: cdb

A agência norte-americana de classificação de risco Standard & Poors e o banco alemão Dresdner Kleinwort Wasserstein (DKW) elogiaram a manutenção dos juros brasileiros em 26,5% ao ano, decidida nesta quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

A diretora da área de risco soberano para América Latina da Standard & Poors, Lisa Schineller, disse que uma atitude mais conservadora do Copom é justificável, dado o potencial de inércia de inflação observado atualmente no Brasil e também pelo fato de as expectativas inflacionárias serem elevadas.

– Apesar das expectativas inflacionárias e também da inflação medida estarem em queda, elas ainda estão elevadas e a inflação deverá superar a meta de 8,5% neste ano, com o BC já mudando o foco da política monetária para o ano que vem – afirmou Schineller.

Em Londres, o banco DKW qualificou como “correta” a decisão do Copom.

– Embora a perspectiva para a inflação tenha melhorado e seja possível já vislumbrar uma redução no futuro, a incerteza sobre a inércia inflacionária não permitia um corte dos juros neste momento -disse o economista Nuno Camara.