Juros bancários estão em alta, segundo Procon

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de janeiro de 2005 as 14:48, por: cdb

Pesquisa mensal divulgada nesta segunda-feira pela Fundação Procon-SP confirmou a tendência de alta das taxas de juros bancários no primeiro mês de 2005. No levantamento, feito dia 3 de janeiro com dez instituições financeiras, a taxa média do cheque especial atingiu 8,10% ao mês, que representou acréscimo de 0,04 ponto porcentual ante dezembro. Quanto aos juros de empréstimo pessoal, a taxa média foi de 5,22% a.m., mesmo porcentual do mês anterior, em função do a rredondamento de casas decimais (5,219% a.m. contra 5,217% a.m.). As taxas equivalentes ao ano são de 154,57% e 84,13%, respectivamente.

– O resultado da pesquisa confirma a tendência de alta das taxas de juros, já que, das dez instituições pesquisadas, uma aumentou e nove mantiveram suas taxas de empréstimo pessoal. E, ainda, no cheque especial, três bancos elevaram e sete mantiveram suas taxas – destaca o órgão, que é vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo.

De acordo com o levantamento, a maior taxa de cheque especial de janeiro foi cobrada pelos bancos Itaú e Real (8,40% a.m.) e a menor foi verificada na Caixa Econômica Federal (7,45% a.m.). Os aumentos de taxa foram verificados no HSBC, Caixa Econômica Federal e Itaú.

O primeiro alterou de 8,25% a.m. para 8,37% a.m., o que representou acréscimo de 0,12 pp e uma variação de 1,45% em relação à taxa de dezembro. A Caixa alterou de 7,33% a.m. para 7 45% a.m. (alta de 0,12 pp ou 1,64%) e o Itaú elevou de 8,25% a.m. para 8,40% a.m. (acréscimo de 0,15 pp ou 1,82%). As demais instituições mantiveram as taxas.

Quanto ao empréstimo pessoal, Itaú e Real também tiveram as taxas com elevação mais significativa (5,70% a.m.) e a Nossa Caixa apresentou a mais baixa (4,10% a.m.). Neste mês, somente o HSBC promoveu aumento, de 5,08% a.m. para 5,10% a.m., um acréscimo de 0,02 pp e variação positiva de 0,39% em relação à taxa de dezembro.

Com os resultados de janeiro, a fundação Procon-SP recomenda que o consumidor seja cauteloso e que evite contrair dívidas nesse momento. O órgão lembra que, no começo de ano, as despesas aumentam não só pelas dívidas do final do ano anterior, mas também pelos impostos devidos (IPVA, IPTU), além da compra de material escolar e das matrículas de colégio.

Os técnicos do Procon-SP destacam que, em virtude da possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal pelo prazo do contrato, foi estipulado o período de 12 meses como base, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este prazo. Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais, sendo que, para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.

Em janeiro de 2005, os bancos pesquisados foram o HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco.