Juiz paralisa atividades da Cataguases

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de abril de 2003 as 11:20, por: cdb

O juiz da 10ª Vara de Fazenda Publica do Rio de Janeiro, Ricardo Couto de Castro, concedeu liminar na ação civil publica movida pela Procuradoria Geral do Estado. A ação pede a suspensão das atividades da Indústria Cataguazes de Papel, empresa sediada em Minas Gerais e que despejou cerca de 1,4 bilhão de dejetos químicos nos rios Pomba e Paraíba do Sul, provocando um dos maiores desastres ecológicos da história do país.

O governo do Rio de Janeiro acredita ter sido uma “significativa vitória na batalha para minorar os danos causados pelo desastre ambiental, provocado pela empresa no Norte/Noroeste fluminense, e para evitar novos vazamentos de produtos tóxicos”. A decisão valerá até que a Cataguazes atenda a todas as determinações impostas pelos órgãos ambientais e de Defesa Civil.

Para tanto, a empresa deverá construir uma barragem no Córrego Cágado, afluente do Rio Pomba, para interromper a contaminação, e terá 48 horas para reforçar o segundo dique de seu reservatório, que também apresenta possibilidade de rompimento.