Juiz chileno se recusa a processar Pinochet

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de setembro de 2004 as 17:42, por: cdb

Um juiz chileno recusou-se nesta quarta-feira a processar o ex-ditador Augusto Pinochet, acusado por sua suposta responsabilidade nos crimes da Operação Condor, enquanto ele não for submetido a exames mentais, marcados para quinta-feira.

O juiz especial Juan Guzmán ordenou que antes do exame neuropsiquiátrico Pinochet também deve ser submetido a um exame de doping, para descartar o eventual uso de medicamentos que possam alterar sua lucidez.

– O juiz Guzmán resolveu realizar primeiro os exames médicos e decidiu não se pronunciar, por enquanto, sobre o processo que solicitamos – disse o advogado que apresentou a ação, Hugo Gutiérrez.

– No entanto, deve-se destacar que o ministro Guzmán ordenou ainda, antes dos exames mentais, a realização de um teste de doping ao general Pinochet – acrescentou.

O advogado explicou que Pinochet será submetido a um exame de sangue para detectar substâncias estranhas antes de os três médicos, um designado pelo juiz e os outros dois pelas partes envolvidas, realizarem os exames psiquiátricos e neurológicos em sua luxuosa casa de Santiago.

Há três anos o ex-ditador foi processado por encobrir crimes durante seu governo, mas depois de receber o diagnóstico de demência senil por especialistas, o caso foi arquivado.

Há um mês a Suprema Corte decidiu investigá-lo novamente por seus supostos vínculos na chamada Operação Condor, uma rede de coordenação para eliminar opositores criada pelos serviços secretos das ditaduras sul-americanas durante a década de 1970.