Jucá defende aumento do IPI para carros importados e diz que oposição quer politizar o debate econômico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 22 de setembro de 2011 as 15:03, por: cdb

Ivan Richard
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O líder do governo Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ironizou hoje (22) a iniciativa do DEM de ingressar no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) pedindo a suspensão do decreto presidencial que determinou o aumento da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros importados.

“O DEM é um partido asiático? Eles estão defendendo a [montadora coreana de automóveis] Hyundai e os carros importados?”, disse Jucá ao ser perguntado sobre a ação do partido de oposição. Para o líder governista, o DEM está tentando levar o debate econômico para a esfera política.

“Essa discussão deve levar em conta que o governo brasileiro está procurando fazer com que os empregos no Brasil sejam preservados e ampliados. O governo está preparado para essa discussão e sabia que os setores contrariados reclamariam na Justiça, o DEM está reclamando, fazendo embate político na questão”.

Sobre o argumento usado pelo DEM para ingressar com a Adin, de que o aumento do IPI teria que respeitar o prazo de 90 dias antes da entrada em vigor, Jucá disse que será a Justiça que dará a palavra final.

Na semana passada, um decreto presidencial elevou em 30 pontos percentuais o IPI para os carros que não tenham pelo menos 65% de itens nacionais ou que sejam fabricados por empresas que não investem em inovação. Segundo o governo, a medida visa proteger o mercado interno.
 

Edição: Rivadavia Severo