Jovens mexicanos realizam Encontro de Solidariedade a Cuba 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 9 de março de 2012 as 12:33, por: cdb

Neste final de semana – 10 e 11 de março -, a população mexicana se reúne em Oaxaca de Juárez, no México, para mais uma atividade em solidariedade à população cubana: o 17º Encontro Nacional de Solidariedade a Cuba. A ideia é realizar um balanço das atividades realizadas em 2011 e discutir as estratégias de solidariedade ao país caribenho.

 “Se reunirão mulheres e homens que estão contra o bloqueio econômico e comercial imposto pelo governo dos Estados Unidos contra Cuba, pela liberação dos cinco heróis cubanos prisioneiros do império e que lutam para construir um mundo melhor”, destaca convocatória do encontro.

Além de apresentações culturais e exibição de vídeos, os/as participantes discutirão sobre a situação de Cuba e as perspectivas do país. Durante dos dois dias do encontro serão debatidas e definidas tarefas e perspectivas da solidariedade a Cuba e plano de trabalho 2012; experiências de trabalho nos estados e formas de coordenação a nível nacional; Rede Juvenil do Movimento Mexicano de Solidariedade a Cuba; e o caso dos Cinco Heróis Cubanos – situação atual. O domingo será dedicado à plenária e leitura e aprovação das resoluções do evento.

Situação cubana

Apesar de manifestações cubanas e internacionais, os Estados Unidos seguem há mais de 50 anos com o bloqueio econômico contra Cuba e mantendo os “Cinco Cubanos” sem o direito de liberdade.

Em um relatório apresentado à Assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, por ocasião da votação sobre o bloqueio econômico, o Ministério das Relações Exteriores de Cuba destacou que o bloqueio estadunidense causou ao país caribenho, até 2010, um prejuízo econômico de 975 bilhões de dólares.

Diversas organizações solidárias a Cuba também alertam para a situação dos Cinco Cubanos. René González, Gerardo Hernández, Fernando González, Ramón Labañino e Antonio Guerrero presos nos Estados Unidos em 1998 acusados de espionagem e de atentar contra a segurança do país norte-americano quando monitoravam organizações terroristas anticubanas. Em outubro de 2011, René González saiu da prisão, mas é obrigado a permanecer nos Estados Unidos por três anos, sob liberdade supervisionada. Os outros quatro cubanos continuam presos.

Serviço:
Para mais informações, acesse o grupo do Movimento Mexicano de Solidariedade a Cuba no facebook ou escreva para: solidaridad.cuba@gmail.com

 

..