Jovens centro-americanos/as escrevem manifesto pela superação da pobreza na região

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 19 de outubro de 2012 as 15:03, por: cdb

Aproveitando o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza, celebrado na última quarta-feira (17), jovens centro-americanos/as integrantes da organização Techo [Teto, em português] divulgaram um Manifesto se comprometendo a desenvolver ações para a integração dos povos da região e demandando das autoridades garantias de direito à vida digna.

O documento, intitulado Manifesto pela Superação da Pobreza na América Central, começou a ser desenvolvido por jovens de Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua e Panamá, em um Encontro Centro-Americano realizado no ano passado em Manágua, Nicarágua. A produção do manifesto se prolongou nos meses seguintes até ser apresentado neste mês na Costa Rica.

“O processo de elaboração do documento é um dos elementos mais valiosos do mesmo, já que integrou jovens de seis países diferentes, em um exercício de cidadania que se baseou na convicção genuína de que a integração é uma via para enfrentar os principais desafios sociais de nossos países, sem importar as barreiras políticas e geográficas”, destaca a organização.

O documento foca dois pontos: privações que se evidenciam na pobreza extrema; e mecanismos e estruturas que seguem gerando a desigualdade e o empobrecimento das populações. No manifesto, os/as jovens se comprometem a: contribuir no processo de integração econômica e social dos povos da América Central; ampliar redes de trabalho de Techo; denunciar as condições de pobreza que vivem as populações da região; participar de espaços de incidência de políticas públicas; mobilizar mais jovens para a construção de moradias; entre outros pontos.

“Contudo, os compromissos anteriores resultam insuficientes para alcançar nosso objetivo; é necessário ademais denunciar as injustificadas violações dos direitos que impedem o desenvolvimento integral da América Central. As comunidades são protagonistas e têm um enorme potencial nesta batalha que nós propomos visibilizar”, ressaltam.

Dessa forma, os/as jovens voluntários/as de Techo dos seis países exigem “que na América Central se assegure plenamente o direito de todo ser humano a ter acesso às condições que garantam uma existência digna”. Além disso, pedem que alguns temas sejam prioritários na agenda pública, tais como: educação; direito fundamental à moradia; eliminação das desigualdades e das discriminações; entre outros.

O manifesto completo pode ser lido e assinado em: http://www.techo.org/manifiestoca/