Joseph Blatter diz que esteve perto da morte

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de novembro de 2015 as 13:01, por: cdb

Por Redação, com agências internacionais – de Zurique:

Após ficar internado em um hospital durante as investigações sobre sua passagem como chefe da organização responsável pelo futebol mundial, o presidente suspenso da Fifa, Joseph Blatter, disse que esteve perto da morte.

Em seu primeiro comentário público desde a hospitalização, Blatter disse à emissora suíça RTS: “Realmente estive entre anjos que cantam e demônios que atiçam o fogo. Foram os anjos que cantaram”. O dirigente não entrou em detalhes sobre sua condição de saúde.

Blatter foi hospitalizado no início de novembro, semanas após o comitê de ética da Fifa iniciar uma investigação sobre as condutas dele e do ex-protegido Michel Platini, presidente da Uefa.

A Fifa suspendeu ambos, aumentando a tensão na Fifa, que também enfrenta inquéritos criminais na Suíça e Estados Unidos.

O presidente suspenso da Fifa, Joseph Blatter
O presidente suspenso da Fifa, Joseph Blatter

Blatter, que deixou o hospital em 12 de novembro, novamente defendeu seu histórico na entrevista e disse que lamenta não ter deixado o cargo no auge da sua carreira, após a Copa do Mundo do ano passado no Brasil.

– Lamento não ter falado para mim mesmo ‘Blatter, você chegou no auge, fez algumas coisas boas, você não pode fazer mais que isso, você deve parar’ – acrescentou.

A entrevista, divulgada em partes para a mídia no domingo, será transmitida completa na quarta-feira.

Blatter, presidente da Fifa desde 1998, enfrenta uma investigação criminal na suíça por um pagamento de 2 milhões de francos suíços da Fifa para Platini. Ambos negam qualquer ato irregular.

Blatter e Platini

No último sábado, o comitê de ética da Fifa anunciou pediu sanções contra o presidente da entidade, Joseph Blatter, e o presidente da Uefa, Michel Platini. A decisão impõe um novo golpe à candidatura do ex-jogador francês para suceder Blatter como líder da organização.

Os investigadores do comitê de ética da entidade, que atua de forma independente do comando da organização, afirmaram que completaram a investigação, mas não revelaram os motivos nem a lista de sanções aos dois dirigentes.

– Por razões relacionadas aos direitos de privacidade e a presunção de inocência até a prova em contrário, o departamento não vai publicar os detalhes dos relatórios e as sanções pedidas contra os dois dirigentes – afirma um comunicado do comitê de ética.

Agora, o relatório será enviado à câmara decisória da comissão, que decidirá se os inquéritos devem continuar e sobre quaisquer eventuais sanções. Em um comunicado separado, o departamento confirmou ter recebido os relatórios e disse que vai estudar “com atenção” e que “decidirá a tempo se avança ou não com um processo formal de julgamento”.

Blatter e Platini haviam sido suspensos de seus cargos por 90 dias, desde 08 de outubro, na pendência de uma investigação completa em meio a um escândalo de corrupção no futebol e investigações criminais na Suíça e EUA.

Blatter também enfrenta investigação criminal na Suíça sobre um pagamento de US$ 2 milhões da Fifa a Platini, que recorreu à Corte Arbitral do Esporte contra sua suspensão.

O pagamento foi feito em 2011 por um trabalho que Platini realizou nove anos antes, disse a promotoria suíça, acrescentando que o dirigente foi considerado “entre uma testemunha e uma pessoa acusada”. Os dois dirigentes negam irregularidades.

 

Comments are closed.