José Dirceu diz que depoimentos negam seu envolvimento com mensalão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 as 17:26, por: cdb

Em nota postada em seu blog, o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) disse que os depoimentos prestados até agora no inquérito que investiga o mensalão negam sua relação com o suposto esquema de caixa dois para financiar campanhas e compra de votos. Ele é acusado de corrupção ativa e formação de quadrilha por suposto envolvimento com o mensalão.

“A sucessão de depoimentos à Justiça, vários por semana, dos réus do chamado mensalão prova, dia-a-dia, que não cometi nenhum ato ilícito”, diz ele na nota.

Dirceu volta a repetir que as denúncias feitas contra ele têm caráter político. “Os depoimentos reafirmam a convicção que tenho e sempre transmiti: é político o processo em que me envolveram, com o propósito de me afastarem do cargo de ministro-chefe da Casa Civil e de me cassarem o mandato de deputado federal pelo que eu representava no governo do PT e do presidente Lula.”

Em depoimento nesta quarta-feira à Justiça Federal do Rio de Janeiro, o ex-deputado Bispo Rodrigues (RJ), na época do PL, negou a existência do esquema do mensalão e afirmou ter deixado a vida pública.

“A vida de um parlamentar é muito ruim, um sacrifício. Chega de manhã e sai à noite. Se você vai a um casamento, tem que abraçar 100 pessoas que você não conhece. Se você está em casa com a família, tem que atender a um pedido político ou até mesmo ir a um enterro de eleitor. É um sacrifício pessoal”, afirmou.

Na teça-feira, o presidente do PTB, Roberto Jefferson – autor da denúncia sobre a existência do suposto mensalão – se recusou a dizer quem fazia os pagamentos do mensalão. Ele se justificou afirmando que é réu e não testemunha no processo aberto pelo STF (Supremo Tribunal Federal) sobre o suposto esquema de caixa dois eleitoral.

“Não sou testemunha, falo sobre mim e sobre meu partido”, disse.

Interrogado no começo do mês, o empresário Marcos Valério afirmou nunca ter tratado do tema com Dirceu. Mas disse que o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira comentara com ele que Dirceu sabia das operações.

Valério procurou centralizar as responsabilidades dentro do PT pelos repasses de dinheiro a aliados aos ex-dirigentes do partido Delúbio Soares (tesoureiro) e Sílvio Pereira.