Jornalistas morrem no Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de março de 2003 as 21:52, por: cdb

A rede de TV britânica ITN comunicou neste domingo que seu veterano correspondente Terry Lloyd, de 51 anos, foi morto no sul do Iraque e se acredita que seu corpo esteja em um hospital iraquiano em Basra.

A emissora acrescentou que outros dois membros da equipe, o cameraman belga Fred Nerac e Hussein Osman, um tradutor de nacionalidade libanesa, continuavam desaparecidos.

Um quarto membro da equipe, Dnaeil Demoustier, foi ferido, mas conseguiu escapar para local seguro.

O incidente ocorreu na véspera, em Iman Anas, perto de Basrabut, na frente sul da guerra.

“Temos provas suficientes para concluir que Terry Lloyd morreu na frente sul da guerra do Iraque”, diz o comunicado da ITN.

Um experiente correspondente de guerra, Lloyd tinha dois filhos. Ele e sua equipe viajavam de Iman Anas a Basra, em região sob intensos disparos.

“A equipe foi surpreeendida por tiros, aparentemente das forças da coalizão, perto de Basra”, afirma ainda o comunicado da ITN.

Segundo o comunicado, ambulâncias iraquianas recolheram mortos e feridos em conseqüência dos disparos na área.

Cinegrafista morto no norte

No sábado, o cinegrafista Paul Moran, de 39 anos, que trabalhava para a Australian Broadcasting Corporation morreu na explosão de um carro-bomba no Curdistão iraquiano.

O cinegrafista morreu quando o carro-bomba explodiu perto do local onde estava, um posto de controle da aldeia de Khormal, no norte do Iraque, segundo uma porta-voz da rede de TV.

O correspondente da ABC Eric Campbell sobreviveu ao ataque, mas foi ferido.

Paul Moran trabalhou durante longo tempo como cinegrafista no Oriente Médio, com base em Bahrein, mas se mudou para Paris no ano passado, onde morava com sua mulher e uma filha.