Jornalista é presa por ser acusada de racismo em Recife

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 28 de agosto de 2003 as 18:45, por: cdb

A jornalista Roberta Simony Carneiro, 34 anos, foi presa em flagrante na noite de ontem, acusada de racismo. Ela corria na pista do Sítio da Trindade, área de lazer da prefeitura no bairro de Casa Amarela, zona norte do Recife, e teria esbarrado numa mulher, dando início a uma discussão.

O fiscal da prefeitura Reginaldo Correia de Araújo interveio e disse ter sido agredido verbalmente com xingamentos de “nego safado” e “escravo”.

Roberta tem outra versão. Segundo ela, depois de discutir com o fiscal ele a empurrou, fazendo-a cair no chão. Ela desmaiou e ao voltar a si, depois de alguns minutos, foi levada à delegacia de Casa Amarela.

A jornalista mostrou arranhões e hematomas nos braços e pernas e disse que ao ser agredida pelo fiscal disse que “o tempo da escravidão já tinha acabado”. Duas testemunhas confirmaram a versão de Reginaldo Correia de Araújo.

Roberta pôs as duas testemunhas sob suspeita, ao afirmar que elas são freqüentadoras do parque e conhecidas antigas do fiscal, costumando levar lanche e comida para ele e o seu chefe.
As testemunhas confirmam que a jornalista desmaiou, mas creditam as marcas no seu corpo à queda provocada pelo desmaio.

Roberta passou a noite na delegacia e foi encaminhada, nesta quinta pela manhã, ao presídio feminino Colônia do Bom Pastor. O delegado Diógenes Cavalcanti, que fez o flagrante, disse ter tomado a medida porque o depoimento do fiscal foi reforçado por duas testemunhas.