João Paulo II pede aos jovens que rejeitem “nacionalismo exacerbado”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 3 de maio de 2003 as 19:43, por: cdb

O Papa João Paulo II pediu neste sábado aos jovens espanhóis que ajam pela paz, “se mantenham afastados” de todas as formas de “nacionalismo exacerbado”, de racismo e de intolerância, e que lembrem que as idéias “não são impostas, são propostas”.

Diante de aproximadamente 700.000 jovens que o aclamaram no aeroporto dos Quatro Ventos, no sudoeste de Madri, um rejuvenescido João Paulo II condenou a espiral de violência, o terrorismo e a guerra.

– Amados jovens, vocês sabem o quanto me preocupa a paz no mundo. A espiral de violência, o terrorismo e a guerra provocam, ainda em nossos dias, ódio e morte. A paz é antes de mais nada um dom e devemos construi-la entre todos mediante uma profunda conversão interior – afirmou João Paulo II.

O Pontífice, que chegou este sábado a Madri para uma visita de dois dias, em sua quinta viagem à Espanha, pediu aos jovens que respondam à violência cega e ao ódio inumano com o poder “fascinante” do amor.

Em meio a muitos aplausos, João Paulo II também pediu que os jovens vençam a inimizade com a força do perdão e não cedam ao mal.

– Mantenham-se longe de todas as formas de nacionalismo exacerbado, de racismo e de intolerância. Testemunhem com a vida de vocês que as idéias não são impostas, são propostas – afirmou com energia o Papa, a quem os jovens gritavam “Te amamos, te amamos”.

Nessas palavras, observadores do Vaticano viram uma crítica aos grupos nacionalistas radicais de regiões espanholas que lutam pela independência empregando métodos terroristas.

O ancião Papa, que mostrou novamente que rejuvenesce entre jovens, disse estar “profundamente emocionado” com a recepção e confessou que há muito tempo desejava ter este encontro.

A última viagem do Papa à Espanha havia sido em 1993. Agora, dez anos depois, ele foi convidado a viajar para canonizar cinco santos espanhóis, o que será feito neste domingo.

Ele aceitou o convite com prazer, mas condicionou sua visita a poder se reunir com os jovens.

Durante o sábado, ele lembrou palavras que pronunciou há mais de vinte anos, durante sua primeira viagem à Espanha, em 1982, no estádio Santiago Bernabeu, em Madri.

Naquela ocasião, ele disse aos jovens: “Vocês são a esperança da Igreja e da sociedade. Continuo acreditando em vocês”.

Preocupado com a forte secularização que a Europa experimenta, o Pontífice ressaltou que o velho continente não pode se esquecer suas raízes cristãs e que os jovens espanhóis têm que lutar por isso.

A Europa tem que saber, disse o Papa, que está chamada a ser farol de civilização e estímulo de progresso. Também deve concentrar seus esforços e sua criatividade -prosseguiu o Pontífice- a serviço da paz e da solidariedade entre os povos.

O Papa também pediu que os jovens não tenham medo de falar com Jesus Cristo, pois Ele é a resposta verdadeira para todas as perguntas sobre o homem e seu destino.

– É preciso que vocês, jovens, se transformem em apóstolos de seus coetâneos. Sei que não é fácil, mas não desanimem, porque vocês não estão sós; o Senhor nunca deixa de acompanhá-los”, afirmou o Papa.

João Paulo II disse que a nova evangelização precisa “com urgência” de sacerdotes e pessoas consagradas, e por isso queria dizer a cada um dos jovens espanhóis que sentem o chamado de Deus, dizendo-lhe “siga-me”, que não o ignorem.

– Seja generoso, responda oferecendo a Deus a sua pessoa e a sua vida – afirmou o Papa, lembrando que foi ordenado sacerdote aos 26 anos e que desde então se passaram 56. – E posso lhes garantir que vale a pena dedicar-se à causa de Cristo – afirmou.

O Papa lembrou que em 2003 é celebrado o Ano do Rosário, convocado por ele. Depois de recomendar a reza do rosário em qualquer momento do dia e em qualquer lugar, afirmou que esta prática leva ao coração da mensagem de Cristo.

À reunião no aeroporto de Quatro Ventos assistiram jovens de todo o país, assim como os filhos dos Reis da Espanha.

Antes do encontro com os jovens, o Papa recebe