João Paulo entrega emenda da Previdência ao Senado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 28 de agosto de 2003 as 09:44, por: cdb

O presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), entrega hoje às 10h ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a emenda constitucional que trata da reforma da Previdência, aprovada ontem em segundo turno pela Câmara.

No encontro com Sarney, líderes da base governista vão acompanhar João Paulo. É possível que nesta quinta-feira mesmo a matéria seja lida no plenário do Senado e encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde terá início a sua tramitação.

O PFL prometeu trabalhar, no Senado Federal, para mudar pontos da reforma previdenciária aprovada na Câmara. A informação foi dada pelo líder do PFL, deputado José Carlos Aleluia (BA). De acordo com ele, a reforma previdenciária foi aprovada graças à aliança dos partidos da base, mas com o apoio de parlamentares da oposição. Aleluia disse ainda que muitos pleitos do PFL não foram atendidos na reforma, razão pela qual o partido tentará mudar o texto no Senado.

Segundo turno

Dos 486 deputados que participaram da votação, 357 votaram a favor, enquanto 123 foram contrários. Houve 6 abstenções. Por se tratar de uma proposta de emenda constitucional, eram necessários 308 votos favoráveis para a sua aprovação. Até mesmo o PSDB apoiou a reforma. Das bancadas, somente PFL, PDT e Prona votaram contra.

Depois dos tumultos que marcaram as votações em primeiro turno da reforma, com várias negociações e a presença de servidores que vaiavam os deputados, a etapa de ontem foi relativamente tranqüila.

Líderes governistas procuraram repetir o discurso de que essa “é uma reforma de todos”. “Não é da maioria, nem da minoria e nem de um partido. Só os que se voltaram para segmentos da minoria votaram contra”, disse Professor Luizinho (PT-SP), vice-líder do governo na Câmara.

Mesmo com esse discurso, os seis votos de abstenção foram do próprio PT. Repetindo a atitude da votação em primeiro turno, Ivan Valente (SP), Chico Alencar (RJ), Mauro Passos (SC), Paulo Rubem (PE), João Alfredo (CE) e Orlando Fantazzini (SP) se abstiveram na votação em plenário.

O deputado petista Walter Pinheiro (BA) votou contra, assim como os radicais Babá (PA), Luciana Genro (RS) e João Fontes (SE), que repetiram o voto contrário dado no primeiro turno.