Jacqueline de Picasso é vendida por US$ 13 milhões

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010 as 12:20, por: cdb

Pablo Picasso mostrou mais uma vez seu enorme valor para colecionadores ricos quando um retrato feito pelo artista de sua segunda mulher, Jacqueline, alcançou o maior valor no leilão de arte impressionista e moderna da Christie’s em Londres, na terça-feira.

Tete de femme (Jacqueline), pintado em 1963, foi vendido por 8,1 milhões de libras (US$ 13 milhões), mais que o dobro da estimativa prévia de 2 a 4 milhões de libras. O preço de venda inclui o valor de acréscimo da casa de leilões, enquanto a estimativa não.

A obra não é exposta ao público desde 1967 e fazia parte da mesma coleção por quase 30 anos.

Jacqueline tinha um pescoço muito curto e muitos dizem que Picasso exagerava seu tamanho em seus retratos como brincadeira — como nesse exemplo alongado.

O resultado ajudou a maior casa de leilões do mundo a arrecadar 66,7 milhões de libras no total do leilão, segundo resultados provisórios no site da Christie’s na Internet, se aproximando das estimativas mais otimistas, que previam entre 48,3 e 69,1 milhões de libras.

A venda total demonstra que o mercado de artes ainda é robusto e tem sido menos afetado pela crise econômica do que muitos especialistas previam.

O segundo maior valor de venda da noite foi de 7,1 milhões de libras por La Gitane, do artista holandês Kees van Dongen, estimado previamente em 5,5 a 7,5 milhões de libras.

Espagnole, da artista russa Natalia Goncharova, oferecida em leilão pela primeira vez, foi vendida a 6,4 milhões de libras, acima do alto valor estimado de 6 milhões.

A Christie’s também realizou um leilão de arte surreal nesta terça-feira que arrecadou cerca de 10,1 milhões de libras, ante expectativas de 8,2 a 11,7 milhões.