Itamar desiste do PDT e quer concorrer à Presidência no PMDB

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de outubro de 2001 as 20:55, por: cdb

O governador de Minas Gerais, Itamar Franco, agitou nesta quarta-feira o seu círculo político e o PMDB por conta de uma ameça de deixar o partido. No final, anunciou que fica na legenda. A manobra política criada por ele resultou ao menos em uma vantagem em relação à ala nacional do partido que está alinhada com o presidente Fernando Henrique Cardoso.

O escudeiro de Itamar, Marcello Siqueira, presidente da Copasa (a estatal de saneamento de Minas Gerais), vai ocupar a primeira vice-presidência do PMDB nacional, que era do senador mineiro José Alencar, que deixou a sigla. Até então, só os governistas tinham cargo na Executiva Nacional.

Diante da ameaça de Itamar, o presidente nacional da sigla, deputado federal Michel Temer (SP), e o grupo governista teriam concordado em ceder a vaga na Executiva Nacional a um itamarista.

A confirmação de que Itamar fica na legenda e que indicaria o vice-presidente do partido foi feita pelo presidente do PMDB-MG, deputado federal Saraiva Felipe. “A razão de ele ficar foi essa grande mobilização”, disse Saraiva.

Tudo isso teve início ontem, no Rio de Janeiro, quando Itamar chamou seus escudeiros para uma reunião de emergência. Já se especulava que ele poderia deixar o partido e ir para o PDT.

No início da tarde de hoje, o vice-governador Newton Cardoso chegou a dizer que estava difícil segurar Itamar no partido. Duas horas depois, ele já dizia que Itamar ia ficar, mas que tinha sido difícil convencê-lo.
Mas Itamar nada falou. Às 16h40, disse apenas que iria se reunir com o PMDB mineiro e que seria uma reunião “longa e demorada”.

O que teria ocasionado o suposto recuo foi o fato de a Executiva Nacional do PMDB estar criando dificuldades para a participação de Itamar nos programas de TV do partido que servirão para os pré-candidatos da sigla fazerem campanha para a prévia _além dele, devem disputar o senador Pedro Simon (RS) e o governador Jarbas Vasconcelos (PE).

Na segunda-feira, também no Rio, Itamar se reuniu com o deputado federal Vivaldo Barbosa (PDT-RJ) e colocou a ele essas dúvidas. Entre as dificuldades que a Executiva Nacional coloca está a tentativa de controlar o discurso de Itamar. A ala governista do partido ameaça não lhe dar tempo de TV caso o governador insista em atacar o presidente Fernando Henrique Cardoso.

Entre os escudeiros de Itamar, Alexandre Dupeyrat era o único que defendia a saída dele do PMDB e a sua candidatura ao Planalto pelo PDT. Dois dos escudeiros, no entanto _Henrique Hargreaves (secretário de Governo) e Djalma Morais (presidente da Cemig)_, já haviam se filiado ao PMDB no início da semana, sinalizando que o governador ficaria.